Fórum definirá política para conversor em três meses


Na reunião de ontem (dia 12), o Fórum da TV Digital decidiu criar dois grupos de trabalho para definir uma política para popularizar a venda de conversores no país. As equipes têm três meses para apresentar suas conclusões, de tal forma que o programa possa ser implementado a partir de janeiro de 2011. Segundo André Barbosa, assessor especial da Casa Civil e integrante do Fórum, um dos grupos, formado os integrantes de diversos ministérios, vai estudar as medidas relativas à desoneração fiscal (redução do PIS/Cofins) e financiamento para o consumidor final. O segundo grupo vai trabalhar as questões relativas à produção industrial e distribuição do produto.

 

Coordenado pelo Ministério das Comunicações, o objetivo do programa é conseguir reduzir o preço do conversor de R$ 300 para R$ 200, para atender as famílias que ganham até dois salários mínimos e que não têm renda para comprar uma TV digital mas podem comprar um conversor para que sua TV analógica receba o sinal digital. A ideia é que sejam comercializados 15 milhões de conversores entre 2011 e 2013. Pelo cronograma da TV digital, ao final de 2013 todo o país deverá estar recebendo o sinal digital, mas a transmissão do sinal analógico continuará até junho de 2016, quando será desligado.

Paralelamente à definição de medidas para baratear o conversor, o Fórum vai fazer uma campanha de massa, com apoio das emissoras e da indústria, para mostrar os benefícios da TV digital. A campanha será desenvolvida ao longo do segundo semestre e deve contribuir para acelerar a venda de televisores com conversor embutido, que ganhou grande estímulo com a Copa. Segundo dados dos fabricantes, apresentados na reunião de ontem, no primeiro semestre foram comercializados 2,2 milhões de televisores com conversor embutido e a expectativa da indústria é de que sejam vendidos mais de 5 milhões este ano.

Anterior Martins defende destinação regional para frequências
Próximos Claro e Nokia criam site para a oferta de aplicativos