FNDC pede consulta pública para TV digital


O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) sugeriu hoje, 22, em reunião com um grupo de parlamentares que  o documento elaborado pelo CpqD sobre o Sistema Brasileiro de TV Digital seja colocado em consulta pública. A intenção é que a sociedade civil entre no debate que vai decidir qual o padrão tecnológico de modulação …

O Fórum Nacional pela Democratização da Comunicação (FNDC) sugeriu hoje, 22, em reunião com um grupo de parlamentares que  o documento elaborado pelo CpqD sobre o Sistema Brasileiro de TV Digital seja colocado em consulta pública. A intenção é que a sociedade civil entre no debate que vai decidir qual o padrão tecnológico de modulação será escolhido para o país: americano, europeu ou japonês, este último o preferido dos radiodifusores e do ministro das Comunicações, Hélio Costa.

O argumento da entidade é que, entre 2000 e 2001, quando estava para ser decidida a implantação da TV Digital no Brasil, o governo FHC contratou o CPqD para analisar um estudo feito pelos empresários de TV e uma universidade (reunidos no consórcio SET/Abert), que já naquela época defendiam o padrão japonês como o melhor para a introdução da tecnologia digital na televisão aberta. O centro de pesquisas de Campinas fez uma série de testes de campo e de laboratório e publicou seu relatório. De acordo com o Fórum, mais ou menos nos moldes do que foi feito de forma mais abrangente e considerando outras variáveis que não apenas as tecnológicas, no governo Lula.
 
A diferença, diz o Fórum, é que o governo FHC, por meio da Anatel, entendeu por colocar o documento final do CPqD em consulta pública (nº 291, de 12/4/2001) para que recebesse contribuições da sociedade. Os comentários foram 39, inclusive por parte de muitos desta lista, e tão divergentes e complexos, que constrangeram o governo a não adotar simplesmente a posição dos radiodifusores, adiando o debate e o calendário da tomada de decisão para esse momento histórico que estamos vivendo. (Da Redação)

Anterior Governo adia conversão pulso/minuto. Operadoras são surpreendidas
Próximos Siemens inaugura centro de P&D e engrossa coro pelo padrão europeu