Florianópolis recebe 30 orelhões WiFi da Oi e avança na oferta de serviços públicos


A Oi chegou a um acordo com a prefeitura de Florianópolis e está prestes a instalar 30 cabines telefônicas públicas com acesso WiFi. Pelo acordo, a operadora garante 15 minutos de acesso ininterrupto à internet, além de acesso ilimitado a sites do governo e da justiça (.gov e .jus) aos cidadãos. Em troca, fica com a receita de publicidade, parte da estratégia de rentabilizar os equipamentos urbanos, os quais é obrigada a instalar e manter em sua área de concessão de telefonia fixa.

A instalação das cabines telefônicas públicas com WiFi em outras cidades está sendo estudada pela operadora, conforme informou a companhia sem prover mais detalhes. A Oi pretende usar estes pontos para escoamento do crescente tráfego de dados de smartphones e tablets, inclusive como apoio aos clientes de serviços 4G, conforme informado ontem. Atualmente, a Oi é a operadora com mais hotspots instalados no país – a rede lançada em novembro conta com 30 mil pontos de acesso à internet em todo país – e pretende usar estes pontos na disputa pelo usuário de banda larga móvel. A meta é chegar a 100 mil hotspots até o final de 2013.

A instalação dos orelhões conectados depende apenas dos últimos trâmites legais e a previsão da Prefeitura Municipal de Florianópolis é de que ocorra em até 60 dias.

Para a prefeitura, o acordo com a Oi é uma forma de garantir o acesso aos serviços públicos online, que vêm sendo ampliados no município. “Este semestre, estamos lançando um portal do cidadão personalizado. Ao entrar e se logar, o usuário terá acesso suas informações na tela, como IPTU, matrícula dos filhos na escola e consultas de agendamento na rede municipal de saúde”, explica o secretário de Ciência, Tecnologia e Desenvolvimento Econômico Sustentável, Rui Luiz Gonçalves. O agendamento online ainda não é possível porque a estrutura de atendimento não comportaria um aumento grande da demanda, que diante da facilidade de agendamento pela internet, poderia partir também de moradores de outros municípios.

Também está nos planos do governo local o lançamento de um espaço online para o debate das questões da cidade, “uma Ágora online”, como prefere chamar o secretário, e um sistema de participação dos cidadãos na definição das prioridades em termos de obras, uma espécie de projeto de orçamento participativo que prevê o voto pela internet.

Na área de transporte, a Prefeitura Municipal de Florianópolis quer incluir em um novo edital de prestação do serviço algumas configurações de tecnologia. “O cidadão precisa acessar as informações sobre o transporte público no celular. Deve ser possível saber onde o ônibus está, por exemplo”, explica Gonçalves que, tem como meta, transformar a capital de Santa Catarina em uma smart city.

Anterior Deputado Molon conclama sociedade a retomar campanha pelo Marco Civil da internet
Próximos Telecom fatura R$ 214,7 bilhões em 2012 e bate recorde histórico