Finep lança edital de subvenção econômica no valor de R$ 500 milhões


A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) do Ministério da Ciência e Tecnologia (MCT) lançou o edital nacional de subvenção econômica 2010, no valor de R$ 500 milhões. Os recursos, de natureza não reembolsável, apoiarão projetos de inovação desenvolvidos por empresas nacionais em seis áreas estratégicas: tecnologias da informação e comunicação; energia; biotecnologia; saúde, defesa e desenvolvimento social.

As empresas têm até o dia 7 de outubro para preencher o formulário eletrônico, que está disponível no site da Finep. Podem concorrer empresas de qualquer porte, individualmente ou em associação com outras empresas. Não será permitido a uma determinada empresa apresentar ou participar de mais de uma proposta por tema.

O menor valor a ser solicitado é R$ 500 mil, podendo o financiamento chegar ao valor máximo de R$ 10 milhões. No mínimo, 40% dos recursos serão investidos em pequenas empresas, empresas de pequeno porte e microempresas e, no mínimo 30% deverão atender empresas das regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste.

A empresa que tiver seu projeto aprovado, também precisará investir recursos próprios no desenvolvimento da pesquisa. Essa contrapartida varia entre 10% e 200% do valor do financiamento, dependendo do porte da empresa. As empresas que tiverem interesse poderão recorrer aos programas de crédito da Finep para levantar os recursos oferecidos como contrapartida na proposta de subvenção econômica.

No julgamento das propostas serão considerados aspectos como, aderência ao tema, grau de inovação, viabilidade técnica e financeira do projeto, impacto no mercado e capacidade técnica da equipe executora.

Na área de Tecnologias da Informação e Comunicação, poderão concorrer projetos de desenvolvimento de circuitos integrados, componentes eletrônicos para displays e dispositivos optoeletrônicos e microeletromecânicos, além de sistemas, software ou hardware, de grande impacto na Copa de 2014 e nas Olimpíadas de 2016, capazes de alavancar a empresa para o mercado externo, nas áreas de segurança pública, mobilidade urbana e sistemas de e-gov.

O edital inclui ainda equipamentos, dispositivos e sistemas inovadores para comunicações de alta velocidade, capazes de impactar de forma significativa a implementação do backbone do Plano Nacional de Banda Larga. (Da redação, com assessoria de imprensa)

Anterior Telefônica afirma que não haverá consolidação com a Vivo no curto prazo
Próximos Criatividade e inovação: fundamentais no novo cenário das comunicações