Filardi vai ser o novo ministro das Comunicações e PMDB trabalha para Motta na Telebrás


O chefe de gabinete do Ministério das Comunicações, José Arthur Filardi, homem de confiança do atual ministro, Hélio Costa, deve assumir o comando da pasta. Embora o conselheiro Antonio Domingos Bedran tenha mais apoio no Palácio do Planalto do que o atual chefe de gabinete, seu nome perde força, e o de Filardi se consolida. …

O chefe de gabinete do Ministério das Comunicações, José Arthur Filardi, homem de confiança do atual ministro, Hélio Costa, deve assumir o comando da pasta. Embora o conselheiro Antonio Domingos Bedran tenha mais apoio no Palácio do Planalto do que o atual chefe de gabinete, seu nome perde força, e o de Filardi se consolida. Fontes do governo confirmam que amanhã, 30, será a despedida de Costa e o nome de Filardi sairá publicado no Diário Oficial da União no dia 31, juntamente com a exoneração de Costa.

O prazo para que os políticos que vão disputar as eleições deixem os cargos termina no próximo dia 02 de abril, mas a expectativa é que todos os integrantes do primeiro escalão do governo Lula renunciem a seus cargos amanhã. A posse dos ministros deverá ocorrer até o dia 1º de abril, e a reunião ministerial no dia 05 de abril, quando também está prometida a aprovação do Plano Nacional de Banda Larga.

As resistências no Palácio do Planalto a Filardi residiam em seu pouco conhecimento sobre o segmento de telecomunicações, mas os argumentos políticos prevaleceram. Afinal, Costa, que deve mesmo ser o candidato de Lula para o governo de Minas Gerais em coligação do PMDB/PT, sairia enfraquecido, se não conseguisse sequer indicar o seu substituto, pelo qual tem se batido há alguns meses, a ponto de indicá-lo como secretário-executivo no mês passado.

Telebrás

Em outra frente, o PMDB quer ampliar o seu papel na nova política de banda larga, que está sendo tocada pela Casa Civil da Presidência da República. E se bate para manter no cargo o atual presidente da Telebrás – Jorge da Motta e Silva, que passaria a ter um papel de muito mais destaque, com as novas atribuições da estatal que serão conferidas pela Plano Nacional de Banda Larga.

Motta foi indicado ao cargo pelo ex-ministro e atual presidente da comissão de Ciência e Tecnologia da Câmara, Eunicio de Oliveira (CE), mas tem o apoio de outros caciques do partido . O senador José Sarney já enviou ofício ao Palácio do Planalto solicitando a  permanência de Motta no cargo. Se esta proposta não for aceita, o mais provável é que a diretoria da Telebrás seja ampliada e Motta acabe permanecendo no board, mas não no cargo de presidente.

Ao sair de reunião com o presidente Lula à noite, o ministro Hélio Costa só disse que o Presidente da República deverá anunciar o nome do novo ministro amanhã, ou então irá autorizá-lo a anunciar.

Anterior Falta de definição exclui banda larga do PAC-2, diz Paulo Bernardo.
Próximos Ex-diretor da CBF é nomeado para o Conselho Consultivo da Anatel