FCC suspende análise das fusões AT&T/Direct TV e Comcast/ Time Warner


A FCC (Federal Communications Comission) publicou hoje em seu site um aviso informando que está suspendendo, e por consequência, parando o prazo de 180 dias, para dar seu parecer sobre as duas maiores fusões no setor de Telecom do mercado norte-americano dos últimos tempos: a fusão da Comcast com a Time Warner, as duas maiores operadoras de TV a cabo; e da AT&T com a DirecTV (que atua no Brasil com o nome de Sky).

A agência informa que suspendeu o prazo para manifestação porque precisa, primeiro, resolver quem poderá ter acessos aos acordos confidenciais firmados pelas empresas. Muitas emissoras e norte-americanos reclamaram que não podiam se manifestar sobre a fusão, visto que não tinham acesso a informações de acordos de conteúdos, e outros contratos considerados confidenciais pelas partes. A FCC vai decidir, primeiro, quem poderá ter acesso a esses contratos.

O negócio entre as duas operadoras de TV a cabo foi anunciado em fevereiro deste ano, pelo preço de US$ 45,2 bilhões. A compra da Direct TV pela AT&T – já aprovada no território brasileiro – foi anunciada em maio deste ano, por US$ 49 bilhões.

Resultados

Hoje a AT&T anunciou também seus resultados do terceiro trimestres. E mantém as projeções de crescimento das receitas entre 3 a 4% até o final do ano, mas continua pressionada no celular. As receitas com o serviço ficaram iguais a do mesmo período do ano passado, mas com queda no pré-pago e aumento no pós pago. A operadora tem 75 milhões de assinantes pos-pagos e 11,2 milhões de pré-pagos. Suas receitas operacionais do período somaram US$33 bilhões, lucros operacionais de US$ 3 bilhões e o free cash flow, US$ 3,5 bilhões.

Anterior Classe C foi a que mais comprou smartphones no Brasil
Próximos Na briga com OTTs, operadoras devem perder US$ 14 bi este ano