FCC investigará operadoras de cabo por bloqueio de P2P


A FCC (Federal Communications Commission), órgão regulador das telecomunicações nos EUA, investigará companhias de cabo denunciadas por bloquearem determinados tipos de tráfego P2P (peer-to-peer, ou de usuário para usuário) em suas redes. Kevin Martin, comissário da FCC, afirmou hoje que o órgão “investigará para se certificar que nenhum consumidor está sendo bloqueado de algum tipo …

A FCC (Federal Communications Commission), órgão regulador das telecomunicações nos EUA, investigará companhias de cabo denunciadas por bloquearem determinados tipos de tráfego P2P (peer-to-peer, ou de usuário para usuário) em suas redes. Kevin Martin, comissário da FCC, afirmou hoje que o órgão “investigará para se certificar que nenhum consumidor está sendo bloqueado de algum tipo particular de acesso de uma maneira discriminatória”.

Vale lembrar que serviços de internet banda larga de operadoras brasileiras, como o Virtua, da Net, e o Speedy, da Telefônica, Brasil Telecom, dentre outros, são reiteradamente acusados por internautas de realizarem o mesmo bloqueio de trafégo, pratica conhecida como traffic shapping, mirando principalmente serviços de VoIP (voz sobre IP) e P2P.  

A Comcast, principal alvo da FCC, negou as denúncias de que dificultaria a transmissão de dados para usuários fora da sua rede. A prática foi inicialmente denunciada pelo TorrentFreak em agosto passado, e tanto a Associated Press quanto a Eletronic Frontier Foundation confirmaram que a companhia dificulta o tráfego P2P quando usuáros procuram enviar arquivos para outros usuários fora da rede da companhia.

No entanto, analistas prevêem que será difícil a FCC conseguir finalizar a prática. Parte do problema reside no fato que o gerenciamento de tráfego por meio de DPI (Deep Packet Inspection, ou inspeção profunda de pacotes) se tornou um grande negócio para os provedores de serviços de banda larga que cada vez mais procuram examinar, gerenciar e moldar o tráfego em suas redes. Estima-se que as demandas das operadoras por DPI geraram cerca de US$ 400 milhões em 2007, e deverão responder por US$ 1 bilhão em 2010. (Da Redação, com agências internacionais)

Anterior ICANN dá mais um passo rumo à independência definitiva
Próximos Fusão BrT/Oi: mais um dia de fortes oscilações das ações.