Faturamento da Impsat Brasil cresce 44%


A expansão dos negócios da subsidiária brasileira contribuiu positivamente para o desempenho da Impsat em 2005: a receita no mercado local foi de US$ 14,6 milhões, 44% maior do que a de 2004, enquanto o Ebitda (lucro antes do pagamento de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 153%, para US$ 5,5 milhões, de acordo com …

A expansão dos negócios da subsidiária brasileira contribuiu positivamente para o desempenho da Impsat em 2005: a receita no mercado local foi de US$ 14,6 milhões, 44% maior do que a de 2004, enquanto o Ebitda (lucro antes do pagamento de juros, impostos, depreciação e amortização) aumentou 153%, para US$ 5,5 milhões, de acordo com informações divulgadas pela empresa no dia 3, em Buenos Aires.

As receitas líquidas do provedor de serviços totalizaram US$ 254 milhões no exercício, 11,5% acima das obtidas em 2004. No ano, o capex foi de US$ 34 milhões. Em base anual, todas as linhas de produtos experimentaram evolução. O faturamento de satélites e banda larga atingiu US$ 173 milhões (mais 7%), o equivalente a 68% do faturamento total de serviços. As maiores contribuições para a receita setorial vieram das fortes vendas de serviços IP no Brasil, Argentina e Equador.

Respondendo por pouco menos de 10% da receita de serviços da Impsat, a área de serviços de valor adicionado (data center, integração e outros serviços de TI) gerou receita de US$ 25 milhões e foi a de maior crescimento anual: 49%. Segundo a Impsat, as vendas de serviços de hospedagem e serviços gerenciados aos clientes brasileiros e colombianos foram decisivas para o desempenho setorial. O faturamento com serviços internet aumentou 17%, para US$ 31 milhões, e o de telefonia totalizou US$ 25 milhões, 15% a mais do que em 2004.

A empresa atribui a uma conjunção de fatores os resultados positivos de 2005: aumento de 31% da base de clientes, para 4,3 mil; vendas cruzadas para a base e para novos clientes; empacotamento dos serviços existentes e de novos serviços; apreciação de moedas locais, sobretudo no Brasil.

(Da Redação)

Anterior Marta Fernandez deixa o CPqD
Próximos Nos EUA, continua a erosão da telefonia fixa local.