Faturamento da Alcatel cresce 18% no trimestre


De janeiro a março de 2006, a empresa, que divulgou os resultados hoje, 27, apresentou indicadores positivos em relação a igual trimestre do ano passado, mas negativos em relação ao último trimestre de 2005. Assim, no 1T06, as receitas de 3,1 bilhões de euros cresceram 18% em comparação com o 1T05, mas recuaram 25% em …

De janeiro a março de 2006, a empresa, que divulgou os resultados hoje, 27, apresentou indicadores positivos em relação a igual trimestre do ano passado, mas negativos em relação ao último trimestre de 2005. Assim, no 1T06, as receitas de 3,1 bilhões de euros cresceram 18% em comparação com o 1T05, mas recuaram 25% em relação às obtidas no quarto trimestre do ano passado.

O lucro operacional de 198 milhões de euros foi 85% maior do que no 1T05 e 63% menor do que no 4T05. A receita das operações totalizou 157 milhões de euros no 1T06, mais 112% do que em igual trimestre do ano passado e 66% a menos do que no 4T05. O lucro líquido por grupo de ações caiu 16% em relação ao 1T05, para 104 milhões de euros, e declinou 70% em relação ao último trimestre do ano passado.

Áreas de negócios

A principal fonte geradora de receita da Alcatel foi o segmento de comunicações fixas, com faturamento de 1,3 bilhão de euros (42% do total), no 1T06, valor 29% acima do obtido no mesmo trimestre de 2005 e 26% abaixo do faturado no 4T05. A área de comunicações móveis faturou 908 milhões de euros, 15% a mais do que no 1T05, 28% a menos do que no 4T05.

O segmento de comunicações privadas cresceu 7% na comparação entre o primeiro trimestre de 2006 e o de 2005, atingindo 905 milhões de euros, e encolheu 22% sobre o 4T05.

Quanto ao lucro operacional por área de negócios, no 1T06 em relação ao 1T05 aumentou 110% na de comunicações fixas, para 110 milhões de euros e caiu 62% quando comparado ao 4T05. Na de comunicações móveis, os 57 milhões de euros auferidos no 1T06 caíram 14% em relação ao 1T05 e 59% em comparação ao 4T05. O segmento de comunicações privadas produziu lucro de 48 milhões de euros no primeiro trimestre do ano, crescendo 40% sobre igual período de 2005, mas com declínio de 59% sobre o 4T05.

Nas palavras do presidente e CEO Serge Tchuruk, graças às compras das operadoras, o faturamento foi expressivo nas áreas de acesso, óptica e IP. Até 31 de março, a Alcatel comercializou 6 milhões de linhas DSL, um crescimento anual de mais de 50%, segundo o executivo.

Por áreas geográficas, 40% do faturamento da empresa foram obtidos na Europa Ocidental; 20% na América do Norte; 13% na Ásia; 27% no resto do mundo.

Lucent tem perdas

No segundo trimestre do ano fiscal de 2006, encerrado em 31 de março, a empresa teve lucro líquido de US$ 181 milhões (32% a menos do que no 2T05), face ao prejuízo líquido de US$ 104 milhões do trimestre imediatamente anterior. O faturamento acumulado em 2006 totalizou US$ 2 bilhões, com aumento seqüencial de 4% e redução de 8% em relação ao 2T05.

Avaliando o desempenho econômico-financeiro da Lucent no semestre, a presidente e CEO Patricia Russo disse que considera a margem bruta de 43% bastante forte, e margem operacional de 12% positiva. “Nossas receitas evoluíram modestamente numa base seqüencial porque não houve crescimento em alguns mercados onde atuamos, particularmente na América do Norte, onde as implantações móveis foram mais lentas do que o esperado”, afirmou a executiva.

Se o desempenho no hemisfério Norte deixou a desejar, o mesmo não aconteceu no Caribe e na América Latina, de acordo com Patricia. Por outro lado, ela adiantou que, neste ano fiscal, a Lucent espera uma redução no faturamento da ordem de US$ 500 milhões na China e na Índia.

Anterior Despesas não recorrentes afetam desempenho da Telemar
Próximos Telemig Celular oferece bônus para quem receber ligações