Faltam 11 milhões de acessos em banda larga nas estatísticas da Anatel


Abrint aponta discrepância entre pesquisas como TIC Domicílios e planilhas mensais divulgadas pela agência. E calcula que ISPs são o maior grupo a fornecer banda larga fixa no país, com 40% do mercado.

Os dados oficiais sobre a penetração da banda larga fixa no Brasil apresentam distorções. Para a Abrint (Associação Brasileira de Internet e Telecomunicações), os números reunidos pela Anatel têm um erro de ao menos 11,8 milhões de acessos.

Conforme a agência reguladora, que reúne dados enviados por operadoras e ISPs, são 31,3 milhões de usuários no país. Mas, para a Abrint, o valor real passa dos 42 milhões. “A culpa disso não é da Anatel, é das empresas, que não preenchem corretamente o SICI [sistema da agência]”, diz Basílio Perez (foto), diretor da entidade.

A Abrint chegou à diferença de 11 milhões de acessos residenciais comparando as planilhas da Anatel com os resultados da pesquisa TIC Domicílios, realizada pelo CETIC, braço de pesquisa do NIC.br. A pesquisa foi feita pela empresa de consultoria Futurion, para a entidade.

Enquanto a Anatel aponta penetração de 44,8% da banda larga fixa no Brasil, a pesquisa TIC Domicílios indica mais de 60%. Perez lembrou que dos 9,4 mil provedores registrados na Anatel, 26% dizem não ter nenhum cliente. “O que é isso? É um erro. Não existe provedor sem cliente. Provavelmente quem não preencheu corretamente os dados foram os pequenos provedores, principalmente os que usam tecnologias diferentes de fibra, já que quem investe em fibra são negócios mais estruturados”, observou.

O impacto do preenchimento errado está na visão do cenário competitivo. Com os dados corretos, é possível definir políticas públicas mais eficientes e ver melhor a dimensão do papel dos pequenos provedores na internet brasileira. “40% da banda larga fixa no Brasil é fornecida pelos ISPs, e não os 26,4% por cento considerados nas estatísticas oficiais”, lembra.

Ou seja, agrupados, os pequenos podem ser o principal fornecedor de internet fixa do país. Pelos dados da Anatel, a Claro/Net tem 30% do mercado, a Vivo tem 24,3%, e a Oi, 19,2%.

O executivo se apresentou hoje, 26, no evento Fiber Broadband Latam Chapter, que acontece em São Paulo.

Anterior Consulta do regulamento de fiscalização acaba nesta quarta, 27
Próximos Confaz amplia número de empresas de telecom beneficiadas pelo regime especial de tributação