Fabricantes de PCs e handets trocam de papeis


  A convergência entre telecom e tecnologia da informação já ultrapassou as redes das operadoras móveis e chegou ao usuário final, com computadores integrados e os benefícios da mobilidade. Mais do que isso: tradicionais fabricantes de celulares já estão produzindo computadores, equipamento até pouco tempo restrito ao portfólio da indústria de informática, enquanto os fabricantes de …

  A convergência entre telecom e tecnologia da informação já ultrapassou as redes das operadoras móveis e chegou ao usuário final, com computadores integrados e os benefícios da mobilidade. Mais do que isso: tradicionais fabricantes de celulares já estão produzindo computadores, equipamento até pouco tempo restrito ao portfólio da indústria de informática, enquanto os fabricantes de PCs anunciam seus planos para produzir smartphones, de olho num mercado cada vez mais crescente. Estimativas de diversos analistas apontam que em 2010 a banda larga móvel irá superar a fixa em número de usuários, respondendo, mundialmente, por 60% dos assinantes do serviço de banda larga.
 
"A convergência é obvia. Se olharmos as diferentes marcas, Lenovo, Toshiba, Acer, todas tem produtos com 3G embarcado", observa o empresário Gilson Rondinelli. "Começa a não haver diferença, seja em smartphone, seja em netbook, inclusive no preço. São todos dispositivos de acesso a internet", completa. Rondinelli, que atualmente presta consultoria para a ZTE, que quer aumentar sua participação no mercado brasileiro de modem 3G — hoje dominado pela também chinesa Huawei, com mais de 60% dos modens comercializados no país –, avalia que no próximo ano começa a mudar também o perfil nas lojas das operadoras móveis. "2010 será um ano importante para as operadoras móveis avançarem na venda de netbooks. Hoje, os vendedores em suas lojas são treinados para a venda de handsets, mas esse perfil vai mudar e eles serão especializados também em computadores, assim como já ocorre na Europa e nos EUA", acredita.

Mesmo com uma participação majoritária no mercado de modem (mundialmente tem 55% de share) e com uma gama de produtos para o usuário final que inclui o lançamento de smarthphone com o sistema operacional Android, do Google, no final deste ano, a Huawei não descarta sua entrada no mercado de notebooks. "Ainda não há uma decisão tomada, mas estudamos essa possibilidade", informa Marcelo Motta, diretor de marketing e soluções da Huawei do Brasil. Para a fabricante, diz ele, não há dúvida de que o serviço móvel será o meio para massificação da banda larga. "Nesse sentido apostamos fortemente nos smartphones", enfatiza, lembrando que mesmo com a queda de 12% observada no mercado global de handset, no segundo trimestre deste ano, as vendas de smarthphone cresceram 27% no período.

Indiretamente, a Huawei participa do mercado de PCs embarcando seus módulos de conectividade em equipamentos da Asus, com quem tem uma parceria global. No Brasil, está fornecendo para a Positivo, que colocará produtos no mercado com o módulo 3G embarcado. "Além de conectividade 3G, já inserimos a função GPS no módulo", completa Luis Fonseca, diretor de terminais da Huawei.

Inversão de papéis

A Nokia, maior fabricante de celulares do mundo, anunciou recentemente seu primeiro computador ultraportátil: o Booklet 3G, que custará € 575 euros. "É cada vez maior a convergência entre o mundo de telecom e o de TI, ou seja, entre PCs e smartphones", comenta Fernando Soares, gerente de produtos da Nokia Brasil. "A Nokia considerou que este é o momento adequado para entrar nessa convergência", afirmou. A bateria dura 12 horas e a conectividade pode ser via HSPA e Wi-Fi. O produto é considerado uma evolução natural pela fabricante, que caminha para se tornar uma empresa de soluções móveis. Embora não seja um device para voz, o Booklet 3G permite que o usuário use a rede HSPA ou a conexão Wi-Fi para fazer uma ligação por meio de VoIP. A previsão de lançamento do netbook no mercado brasileiro é final de 2010.

Do outro lado, a fabricante taiwanesa de PCs Acer anunciou, no início do ano, o desenvolvimento de smartphone. Mis recentemente, após vários ensaios e negativas, a Dell firmou um acordo de cooperação com a China Mobile para desenvolver um smartphone. O device será comercializado pela operadora chinesa e está sendo desenvolvido com o Android.

Outros tradicionais fabricantes do mundo da informática, como a HP que já produz smarthphone, investem para aperfeiçoar os produtos, pois sabem que a indústria de TI é cada vez mais dependente da conectividade e mobilidade. No caso da HP, a empresa lançou comercialmente laptops com o módulo 3G multimodo (EVDO/HSPA) embutido. O dispositivo, desenvolvido pela Qualcomm, funciona com múltiplas operadoras. "Com esse módulo, o notebook funciona em qualquer faixa de frequência, além de permitir melhores taxas de transferência, seja para download ou upload", diz Rodrigo Toscano, gerente de produto da HP para telecom. No Brasil, a HP comercializa mini notebooks com essa tecnologia em parceria com a TIM. Os equipamentos têm modem 3G integrado, mas o sim card é vendido separadamente.

( Publicada em outubro de 2009)

Anterior Anatel prepara súmula para esclarecer dúvidas sobre ponto extra
Próximos Feliz 2010!