shutterstock_Angela Waye_TV_paga_TV_radiodifusao_conteudo_audiovisual

A TV a cabo Alphaville passou por uma nova reorganização societária, aprovada mais uma vez pela Anatel. Há dois anos, apesar do parecer contrário da procuradoria da agência, o Conselho Diretor autorizou que o apresentador e empresário Silvio Santos transferisse a sociedade desta operadora de TV paga para suas duas filhas, para poder descaracterizar a propriedade cruzada entre emissoras de TV aberta e fechada, proibida pela lei do LeAC (Lei de Acesso Condicionado).

A direção da Anatel entendeu à época que a lei só proíbe a propriedade cruzada entre empresas coligadas e controladas, e que não havia previsão regulamentar para caracterizar qualquer vínculo entre pessoas físicas, mesmo com primeiro grau de parentesco. Assim, Patricia Abravanel ganhou 49% das ações da operadora e Renata Abravanel outros 6%. A empresa era ainda administrada por outros sócios pessoas física e pela Herbeys Holding, que possuía 28,5% das ações.

Na nova mudança societária, haverá uma transferência transitória, para depois a operação ficar sob o comando de Patricia Abravanel, com 55% das ações e Guilherme Stoliar, que irá receber 45% do restante da operação.

Stoliar era até pouco tempo o Todo Poderoso da TV aberta de Silvio Santos. Respondia pela TV SBT Canal 4, de São Paulo, TV SBT Canal 11 do Rio de Janeiro, TV SBT canal 5 de Belém, TV SBT canal 5 de Porto Alegre e TV Stúdios de Brasília. Mas conforme a agência, “desde o dia 6 de janeiro de 2016 não integra mais o quadro diretivo de tais sociedades”.

Ele teve que deixar a direção das emissoras para poder assumir a sociedade na TV paga. A Anatel aprovou a nova mudança sem ressalvas.