EUA fecha site de compartilhamento de arquivos Megaupload


O site de compartilhamento de arquivos Megaupload.com foi fechado pelo governo dos EUA na quinta-feira (19) após a prisão de quatro de seus executivos na Nova Zelândia, acusados de lavagem de dinheiro, crime organizado e violação de direitos autorais. A operação ocorre em meio ao debate em torno de projetos de lei anti-pirataria online em Washington.

 

Autoridades nova-zelandesas prenderam quatro dos sete executivos acusados no processo aberto pelo Departamento de Justiça norte-americano, incluindo um dos fundadores do site, Kim Dotcom. Ativos do site, como dinheiro, servidores e domínios, também foram apreendidos nos EUA e em outros países. A ação gerou muitas críticas de opositores dos projetos de lei SOPA e PIPA, em tramitação no Congresso norte-americano, e levou hackers, entre eles o grupo Anonymous, a atacarem os sites do Departamento de Justiça, do FBI, da gravadora Universal Music e de associações das indústrias de música e cinema.

 

O site oferece armazenamento de arquivos online e, segundo pesquisa da Palo Alto Networks, era usado por 57% das empresas do mundo para compartilhamento de arquivos e é líder no compartilhamento de conteúdo de entretenimento. “É ofensivo dizer que, só porque as pessoas podem fazer upload de coisas ilegais no site, o Megaupload está automaticamente responsabilizado”, disse o advogado da companhia, Ira Rothken, à agência de notícias Reuters.

 

O Megaupload permite que usuário façam o upload de arquivos para o site, que cria um link que é distribuído para que outros possam baixar o conteúdo. O site oferecia assinaturas pagas para quem quisesse taxas de upload e download mais rápidas. A companhia já havia recebido diversos pedidos para que retirasse conteúdo protegido por direitos autorais do site, mas não acatou. Segundo o processo aberto contra a empresa, seus executivos ganhavam mais de US$ 175 milhões com assinaturas e publicidade.

 

“A companhia está buscando opções legais para conseguir ter seus servidores e domínio de volta e reativar o site. O Megaupload irá se defender vigorosamente”, disse Rothken. Nesta sexta-feira (20), um site semelhante ao Megaupload ressurgiu sob um novo endereço IP, mas sem domínio. O advogado da companhia afirmou que não tem conhecimento do novo site. (Da redação, com agências internacionais)

Anterior Intel reestrutura comando e nomeia vice-presidente operacional
Próximos RioContentMarket promove entcontros entre produtoras e programadoras de TV paga