EUA desistem de deletar arquivos do Megaupload por mais 2 semanas


O advogado do Megaupload, Ira Rothken, informou ao site especializado CNET que conseguiu adiar por mais duas semanas que os arquivos de usuários do site de compartilhamento fossem deletados. Segundo informações de agências de notícias, as empresas Carpathia Hosting and Cogent Communications, que armazenavam os dados, poderiam deletar os arquivos já nesta quinta-feira (1º) uma vez que, após a prisão de executivos do Megaupload, acusados de violação de direitos autorais e lavagem de dinheiro pelos EUA, e o confisco de seus ativos na semana passada, não haveria como pagar o serviço de hosting.

 

“As companhias foram nobres o suficiente para nos dar mais tempo até que cheguemos a um acordo com o governo norte-americano”, disse o advogado, que negocia uma forma de proteger os arquivos que usuários do Megaupload armazenavam no site. Embora muitos desses dados seriam de conteúdo que violasse os direitos autorais, como cópias ilegais de filmes e músicas, muitos internautas usavam o serviço para armazenar seus arquivos pessoais ou profissionais na nuvem.

 

Segundo Rothken, informações cruciais para a defesa dos executivos do Megupload também estariam armazenadas no site. (Da redação, com agências internacionais)

Anterior Sercomtel adia serviço de TV por satélite para agosto
Próximos Operadoras criticam edital de 2,5 GHz e 450 MHz em audiência