Estados Unidos aumentam o tom contra a internet chinesa


Os Estados Unidos aumentaram o tom das críticas à internet chinesa, depois que o Google ameaçou sair daquele país devido à censura e à violação de e-mails de ativistas de direitos humanos. Depois de representantes do departamento de comércio norte-americano terem se reunido com embaixadores chineses em Washington na semana passada, esta semana prometem enviar …

Os Estados Unidos aumentaram o tom das críticas à internet chinesa, depois que o Google ameaçou sair daquele país devido à censura e à violação de e-mails de ativistas de direitos humanos. Depois de representantes do departamento de comércio norte-americano terem se reunido com embaixadores chineses em Washington na semana passada, esta semana prometem enviar uma queixa formal ao governo chinês.

Isso porque os norte-americanos estão afirmando que por trás dos ataques piratas, haveria uma disputa industrial, pois diversas empresas de segurança teriam sido atacadas pelos pelos piratas chineses, que se aproveitaram de uma falha em um dos softwares da Microsoft para se infiltrarem nas redes das empresas norte-americanas.

Entre as empresas atacadas está a Northrop Grumman, que fabrica, entre outros os bombadeiros B-2 Spirit, do exército norte-americano. Para eles, esse foi o maio caso de espionagem industrial da história. A empresa de segurança na internet McAfee definiu o ataque contra o Google como apenas a ponta do iceberg e revelou que os hackers haviam aproveitado a vulnerabilidade do explorador da internet da Microsoft.

Hoje, a imprensa internacional afirma que os correpondentes estrangeiros que atuam em Pequim tiveram seus e-mails pirateados. E informam ainda que o Google estaria investigando seus empregados chineses, e já teria transferido alguns para outras funções na empresa.

Ontem, pela primeira vez, o governo chinês respondeu diretamente ao Google. Um porta-voz do ministério das Relações Exteriores, Ma Zhaoxu, afirmando que “ as empresas estrangeiras na China devem respeitar as leis, os costumes e tradições e assumir as responsabilidades sociaiais. O Google não é uma exceção”. ( Da redação, com agências internacionais).

Anterior Relatório do Fórum Econômico Mundial destaca o celular na inclusão social
Próximos Telefônica e NET serão autuadas por desrespeito à lei antitelemarketing