Espírito Santo licita rede IP para concluir sua infovia


O Instituto de Tecnologia da Informação e Comunicação do Estado do Espírito Santo (Prodest) começou a terceira fase para a montagem da Rede Metrovix, que interligará os  órgãos da administração estadual, numa velocidade mínima de 1 Gbps. Última etapa do processo de construção de sua infovia, esta fase consiste na licitação para a compra dos equipamentos IP, que permitirão a comunicação entre os 100 pontos a serem interligados e a adoção do serviço de Voz sobre IP (VoIP).

“O edital já passou pela consulta pública e está em fase final de elaboração e deve ser publicado na próxima semana”, informa Sylvia Abaurre, diretora técnica do Prodest. A licitação será por pregão presencial e deve ser disputada pelos principais players do mercado, que participaram da consulta pública: Alcatel-Lucent, Avaya, Cisco, Extreme e 3Com. O governo do estado deve investir R$ 5 milhões na rede IP.

Na primeira fase do projeto foi construído o anel óptico e a ligação até a última milha, conectando os 100 pontos — órgãos do governo do estado, do Legislativo e do Judiciário. O anel também é compartilhado pela RNP, que cedeu a Rede Comep (Redes Comunitárias de Educação e Pesquisa) e pela prefeitura de Vitória. “Até o final deste mês devemos concluir a instalação da última milha e, paralelamente, estamos finalizando a segunda etapa, que é o projeto óptico”, conta a diretora do instituto. A tecnologia escolhida para acender a fibra foi a DWM e a licitação foi vencida pela nacional Padtec, que está finalizando a instalação dos equipamentos.

A previsão é que a Rede Metrovix esteja funcionando a partir do primeiro semestre de 2011, quando estará concluído o projeto gerencial. Com a rede, a expectativa do governo é aumentar a eficiência do gerenciamento eletrônico de documentos e do sistema de telefonia; além de implementar aplicativos governamentais, como o Sistema Integrado de Administração de Recursos Humanos (Siarhes), o Sistema de Protocolo Eletrônico (SEP), Sistema Integrado de Administração Financeira para Estados e Municípios (Siafem), o Saúde Digital, entre outros. Além disso, vai aperfeiçoar os sistemas médicos de diagnóstico e análise remotos e o uso da videoconferência.

Inicialmente, a rede cobre apenas a capital, Vitória. Para 2011, o governo estuda  a ampliação para cobrir a Grande Vitória e, uma parceria com a Telebrás, para integração da rede estadual à rede da estatal, pode estender a infovia para cidades do interior do estado. “Já estamos conversando com os técnicos da Telebrás para que nossa infovia integre o projeto que prevê a integração das redes estaduais com a rede da Telebrás”, informou Sylvia. A discussão para que essa integração ocorra começou no início deste mês, em uma reunião entre diretores técnicos das companhias de processamento de dados estaduais e representantes do governo federal, organizada pela  Associação Brasileira das Empresas Estaduais de TIC (Abep). Na ocasião, O Ceará, cuja infovia já está pronta, anunciou sua adesão ao projeto. Os termos do acordo ainda estão em discussão, mas a idéia é que não haja remuneração mas troca de capacidade entre as redes.

Anterior Ato de concentração Oi/BrT será julgado no Cade nesta quarta
Próximos Minicom prorroga habilitação de rádios comunitárias