grafico-negativo-seta-executivo-descendo

A Ericsson precisou dar baixa de US$ 1,8 bilhão em ativos no balanço final de 2017, que será divulgado em 31 de janeiro. O grupo sueco, fornecedor de equipamentos de infraestrutura de telecomunicações, antecipou hoje, 16, que precisou reavaliar o valor de bens e produtos, na maioria, com mais de 10 anos.

A companhia reduziu em US$ 883 milhões o valor dos ativos da divisão de Serviços Digitais e quase o mesmo montante do segmento “Outros”, que reúne os negócios de soluções de mídia. Mas houve também revisão do valor de ativos nos segmentos de Serviços Gerenciados e de Redes, embora em menor escala.

O balanço de dezembro trará ainda um impacto entre os ativos financeiros da ordem de US$ 120 milhões, em função de alterações nas cobranças de impostos por parte do governo dos Estados Unidos.

Segundo a empresa, essa revisão não terá impacto sobre o caixa, nem vai impedir a companhia de continuar o programa de corte de custos que vem praticando nem no desenvolvimento de produtos que atendam as necessidades dos clientes. “A baixa contábil não deve ser vista como uma indicação de desempenho no trimestre”, diz comunicado da fabricante dirigido a investidores.