Ericsson tem 21 redes 5G lançadas no mundo


Considerada uma das protagonistas da virada tecnológica de 5G no mundo, a Ericsson conta atualmente com 21 redes comerciais 5G lançadas em quatro continentes. A empresa estima mais de 10 milhões de usuários conectados globalmente até o final deste ano, na medida em que cresce a oferta de dispositivos e serviços com a nova tecnologia.

“Uma de nossas principais missões do momento é simplificar o entendimento da tecnologia 5G. Para isso estão sendo realizados testes de engenharia com os clientes de forma a checar o reúso do hardware e cases aplicados à 5G em outros países”, explica Georgia Sbrana, VP de assuntos corporativos e inovação da Ericsson. A previsão da empresa para 2024 será de 1,9 bilhão de assinantes de 5G no planeta.

Centro de Inovação

Criado há mais de 40 anos, o Centro de Inovação da Ericsson, localizado em Indaiatuba, São Paulo, tem desempenhado um papel relevante no processo de evangelização da tecnologia 5G junto ao mercado brasileiro. O centro reúne hoje 450 pesquisadores, que também trabalham em parceria com as principais universidades do país. Para se ter uma ideia,  já foram desenvolvidas e exportadas até o momento mais de 140 patentes para o mundo – o  que confere a grande reputação do centro junto ao grupo Ericsson.

A Universidade Federal do Ceará, por exemplo, acaba de receber o prêmio mundial Ericsson Inventors of the Year pelas pesquisas realizadas e incorporadas ao desenvolvimento da tecnologia 5G. Ícaro Leonardo da Silva, o pesquisador premiado, trabalha no design de protocolos de rede 5G e suas evoluções. Com 35 anos, já acumula mais de 250 famílias de patentes em que é registrado como inventor. Considerando que muitas dessas patentes são registradas em vários países, podemos contabilizar o total de 1.200 patentes.

“Iniciativas como essa têm contribuído para posicionar o Brasil em quinto lugar em receita, entre os 140 países em que a Ericsson atua. Isso nos fortalece como unidade”, frisa Sbrana. Segundo ela, a empresa avalia, anualmente, para onde será dirigido o orçamento de R$ 100 milhões/ ano endereçado à pesquisa e desenvolvimento. Em 2019, o Brasil foi o país escolhido, vencendo o Canadá na lista final. Nos últimos 10 anos, foram investidos globalmente R$ 1 bilhão em P&D.

Mais competitividade

Entre outras atribuições da Ericsson, segundo Sbrana, é tornar a 5G uma pauta relevante junto ao governo e mercado, de forma a contribuir para o país se tornar mais competitivo mundialmente. “A 5G chega como uma tecnologia habilitadora para que o Brasil atinja o máximo de eficiência. Afinal, apenas 12% de nosso PIB hoje é voltado para exportação, enquanto a média mundial está em torno de 25%”, explica.

Na Futurecom 2019, a Ericsson mostrou ao público que 5G vai muito além de smartphones mais velozes. Por meio de jogos, holografia e outros recursos pode tornar tangível a importância dessa tecnologia para a transformação de setores relevantes da sociedade como a saúde, entretenimento entre outros.

A transferência de dados em tempo real, possibilita aos médicos realizarem exames de ultrassonografia e cirurgias, remotamente. Por se tratar de uma tecnologia cerca de 100 a 1.000 vezes mais rápida que a 4G, experiências digitais em 5G – como realidade virtual e realidade aumentada – apresentam desempenho muito melhor, permitindo, entre outras coisas, que pessoas assistam à partida de futebol em seu sofá, como se estivessem no estádio.

 

Anterior Vivo quer conectar 1 milhão de casas com fibra implantada por franqueados
Próximos Air France testa uso de LiFi em vôo

1 Comment

  1. José Raimundo Furtado
    4 de novembro de 2019
    Responder

    Tecnologia para melhorar o mundo. Parabéns!!!

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *