Ericsson tem 10 contratos em 5G


Börje Eckholm (foto), CEO da Ericsson, anunciou hoje, 25, durante o MWC19, que a fabricante de equipamentos de telecomunicações fechou 10 contratos para a implantação de redes 5G no mundo. Segundo ele, a empresa será grande responsável em tornar a quinta geração móvel realidade.

Os dez contratos são com as operadoras T-Mobile, Verizon, Sprint e AT&T (todas dos EUA); Vodafone UK (Reino Unido); Telenor (Noruega); Swisscom (Suíça); Wind 3 (Itália); Ooredoo (Qatar); STC (Arábia Saudita); SK Telecom (Coreia do Sul); e Telstra (Austrália).

Além dos contratos fechados, a companhia afirma que tem 42 memorandos de entendimento em voga. Estes memorandos preveem, entre outras coisas, testes dos equipamentos e abrem oportunidades para novas vendas.

Segundo Eckholm, as operadoras precisam se engajar na modernização das redes para obter vantagem sobre as concorrentes. “Estudo do nosso laboratório de pesquisa de mercado indica que um terço dos usuários de smartphone vão mudar imediatamente ou em até seis meses para a operadora que ativar o 5G”, afirmou, durante apresentação para a imprensa e analistas.

O executivo disse que a Ericsson começou a fazer células compatíveis com 5G em 2015. De lá para cá, a empresa fabricou e distribuiu 3 milhões de rádios.

Aquisição no setor de antenas

A Ericsson vai comprar a divisão de antenas e filtros de sinal da Kathrein por valor não revelado. Com a aquisição, a companhia sueca espera ampliar o portfólio de produtos para redes sem fio.  A expectativa é que a transação seja concluída no terceiro trimestre.

O negócio tem relação direta com a demanda por 5G, tecnologia que deve multiplicar a quantidade de células e faixas de frequências utilizadas nas redes móveis. Segundo executivos da Ericsson, a empresa poderá desenvolver estações radiobase menores, conferindo uma vantagem competitiva importante no segmento para quinta geração.

Em 2018, as receitas da Kathrein com antenas e filtros somaram € 270 milhões. A divisão adquirida possui 4 mil profissionais, que serão absorvidos pela Ericsson. A unidade fica na Alemanha. Além da equipe, a Ericsson leva com a compra também o centro de pesquisa em antenas e as patentes da Kathrein no segmento.

Contratos

Assim como a rival da Finlândia, a Ericsson também será uma das fornecedoras da rede 5G sendo construída pela Saudi Telecom, operadora da Arábia Saudita. A fabricante entregará equipamentos para a rede móvel de acesso (RAN), packet core, transporte e o sistema de gestão da rede (Ericsson Network Manager). Tudo funcionará na banda de 3,5 GHz.

A fabricante também avisou que assinou com a Ooredoo, operadora do Qatar. No caso, vai fornecer seu Radio System 5G e equipamentos de microondas de 10 Gbps para o projeto de implantação da quinta geração no país. No momento, a tele está fazendo o upgrade de 1,2 mil ERBs 4G para 5G.

A Telstra, operadora da Austrália, assinou contrato com a Ericsson. A fabricante vai fornecer seu sistema de gestão conexões de internet das coisas chamado IoT Accelerator. O valor não foi revelado. A Ericsson já havia implementado uma rede NB-IoT estendida para a tele, com sinal que excedia os 100 Km de alcance, 60 Km mais que os padrões estabelecido pela 3GPP. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Nokia fechou 20 contratos em 5G mundo afora
Próximos Sprint ativa rede 5G nos EUA em maio