Ericsson prevê o lançamento de rede 5G no Brasil neste ano


O relatório Mobility Report da Ericsson prevê o lançamento de rede 5G no Brasil ainda neste ano. Conforme a pesquisa, além do Brasil, as primeiras regiões da América Latina à aderirem à 5G serão: Argentina, Chile, Colômbia e México. E, até o final de 2025, o 5G deverá resultar em 13% das assinaturas móveis.

A análise também afirma que as conexões sem fio fixas (FWA) chegarão a quase 160 milhões até o final de 2025. O que totaliza cerca de 25% do tráfego de dados da rede móvel global e atinge 53 exabytes. Será um crescimento de quase 8 vezes em comparação aos números do final de 2019. Na época, o tráfego global de dados de FWA havia sido estimado em cerca de 15% do total.

PUBLICIDADE

A FWA de 4G ou 5G são uma alternativa cada vez mais econômica para o fornecimento de banda larga. É um mercado impulsionado por vários tipos de atividade, como as demandas de consumidores e empresas por serviços digitais, além de programas e subsídios patrocinados pelo governo.

Em um estudo recentemente realizado, também pela Ericsson, sobre dispositivos móveis e ofertas de provedores de serviços, 185 de 309 provedores tinham uma oferta da FWA. Comparado a dezembro de 2018, este número quase dobrou.

FWA no contexto da banda larga

No fim de 2019, aproximadamente 1,2 bilhão (60%) de famílias no mundo possuíam banda larga fixa. Até o final de 2025 esse número atingirá aproximadamente 70%. O FWA representará 10% das conexões de banda larga fixa.

Além disso, o FWA também é visto como uma opção de substituição para cerca de 300 milhões de conexões do serviço DSL existentes.

De acordo com a companhia, a previsão de cerca de 160 milhões de conexões FWA até o final de 2025 representa aproximadamente 570 milhões de pessoas com acesso a uma conexão de banda larga sem fio. Afirmam ainda que com a pandemia de Covid-19, a demanda por redes sem fio banda larga doméstica provavelmente nunca foi maior. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Mesmo com venda da móvel, Oi pode ir ao leilão da 5G
Próximos Huawei soma a criação de 65 mil empregos na América Latina