Ericsson e Cisco firmam parceria para redes de próxima geração


Acordo deve gerar ganhos de receita de pelo menos US$ 1 bilhão para cada companhia até 2018 e prevê desenvolvimento em 5G, nuvem, SDN e NFV, além de ação conjunta em vendas. Foco inicial serão as operadoras.

As companhias Ericsson e Cisco, duas das maiores fornecedoras mundiais de infraestrutura de telecomunicações, anunciaram hoje, 09, uma parceria para o desenvolvimento e venda de tecnologias para redes de próxima geração. Os termos da aliança não foram divulgados. De acordo com as empresas, o objetivo é criar e vender soluções fim a fim “em 5G, nuvem, IP e internet das coisas”. As soluções das empresas vão incluir dispositivos e sensores, além de redes core para nuvens corporativas de TI.

O acordo prevê a assinatura de diversos termos de compromisso para o desenvolvimento de novas arquiteturas de rede e criação conjunta de sistemas de gerenciamento e controle, de revenda e colaboração em mercados emergentes. Também faz parte do negócio o compartilhamento das tecnologias pelo regime FRAND de licenciamento do portfólio de cada empresa. Com isso, a Cisco passa a pagar taxas para a Ericsson. Juntas, as empresas detêm mais de 56 mil patentes e atenderão mais de 180 países.

“A parceria estratégica vai resultar em crescimento e valorização na próxima década. Até 2018, deverá render mais de US$ 1 bilhão a cada uma”, dizem as empresas, em comunicado. Ericsson e Cisco afirmam, também, que vão criar um time para trabalhar em conjunto em soluções SDN e NFV e de gerenciamento e controle de redes.

“Inicialmente, a parceria focará as operadoras, depois abarcará oportunidades para o segmento corporativo e acelerar a adoção de serviços em internet das coisas em diferentes indústrias. Para a Ericsson, a parceria fortalece nossa estratégia em IP, e será fundamental pra nossa própria transformação”, comenta Hans Vestberg, CEO da Ericsson. Além do resultado em vendas, ele espera sinergias da ordem de US$ 115 milhões, graças a economias com fabricação, marketing e posicionamento de mercado, apenas para a empresa sueca.

“Trabalhamos com a Ericsson ao longo do último ano para criar uma estratégia para a obter liderança no futuro, e podemos começar a executar isso desde já”, resume Chuck Robbins, CEO da Cisco. (Com assessoria de imprensa)

Anterior Samsung inaugura laboratório na Unicamp
Próximos Leilão das sobras: propostas entregues dia 10 e leilão será no dia 17 de dezembro