Era digital coloca setor automotivo em uma encruzilhada, diz KPMG


O recente upgrade de software realizado pela Tesla é uma iniciativa que o setor automotivo deverá conviver cada vez mais. E que ao mesmo tempo também serve para demonstrar que o atual modelo de negócios das montadoras pode estar em uma encruzilhada diante da crescente era móvel e conectada. Essa é uma das principais conclusões a que chegou estudo realizado pela KPMG, que mostra que o atual padrão desse mercado está sofrendo pressão de todos os lados. “No futuro, o carro não será o único foco do consumidor e o casamento dessa indústria com a de telecom será indissolúvel”, disse Ricardo Bacellar, diretor de relacionamento da consultoria para o mercado automobilístico.

Essa encruzilhada, de acordo com a KPMG, envolve decisões estratégicas das montadoras sobre permanecer apenas como fornecedoras de veículos, deixando o caminho livre para novos entrantes que vão concorrer pelos dados dos clientes, “o verdadeiro tesouro”, ou se manterem como protagonistas e expandirem seu modelos de negócios oferecendo aos consumidores novos produtos e serviços customizados. Conforme o levantamento, a conectividade está pavimentando esse novo formato de fazer negócios e é por meio dessa plataforma que as companhias ganharão formas de se engajarem diretamente com os clientes virtualmente em qualquer lugar, a qualquer momento. “Inclusive dentro do carro”, diz o estudo.

Para a KPMG, a Internet das Coisas (Iot) sozinha não é “uma bala de prata”. “O que está em jogo não é mais IoT, é Internet of Behavior, do comportamento”, ponderou Bacellar. Em um futuro não muito distante, o carro será apenas mais um dispositivo em um universo móvel conectado e conjuntos de dados disponíveis. Para a consultoria, a conexão inteligente dos carros e os dados dos consumidores é que vão orientar os futuros modelos de negócios.

O estudo aponta quatro temas fundamentais para um posicionamento estratégico das montadoras para terem sucesso nos próximos anos. A primeira envolve uma profunda mudança no modelo de relacionamento com os clientes. “Esse novo cenário altera muitas práticas, como o recall. Será possível à montadora saber exatamente quais os veículos são afetados por algum problema, avisar diretamente esses motoristas, programar a visita à concessionária para o conserto e ainda aproveitar essa oportunidade para oferecer novos serviços”, afirmou Bacellar.

Os outros temas que estão no radar da consultoria são o uso da conectividades e analíticos como plataforma para novos negócios, ciclos de inovação cada vez mais curtos e customização como armas de fidelização. Os desdobramentos das mudanças que devem passar esse setor também atingem outras cadeias importantes, ressaltou o executivo. Entre elas logística, varejo, saúde e, principalmente, de seguros. Além disso, os governos terão de fazer parte desse processo, atualizando as normas e regulamentações desse mercado.

 

Anterior Anatel dá novo recado: acesso a internet não é regulado e rentabilidade é escolha empresarial
Próximos Cabo submarino Brasil Europa fica concluído no segundo tri de 2017