Entidades querem adiar decisões sobre licitação da faixa de 700 MHz


Os radiodifusores querem empurrar para o final de novembro qualquer decisão sobre a faixa de 700 MHz. Nesta quinta-feira (19), os presidentes da Abert, Abra e Abratel pediram ao ministro das Comunicações, Paulo Bernardo, que a efetivação da destinação da frequência não saia antes do final da canalização dos canais digitais e da conclusão dos estudos sobre a interferência entre os serviços de TV digital e banda larga 4G.

Segundo o presidente da Abert, Daniel Slavieiro, o pedido reforça a intenção do próprio MiniCom, que recentemente enviou ofício à Anatel pedindo cautela nas decisões sobre a faixa. “Até agora, o ministério está cumprindo tudo o que prometeu aos radiodifusores”, afirmou.

Os estudos de interferência estão sendo feito pela universidade Mackenzie, a pedido da SET (Sociedade de Engenharia de Telecomunicações) e só fica pronto em novembro. Os radiodifusores querem que as definições sobre o edital de licitação da faixa só saiam após aprovação do plano de mitigação, o que pode empurrar a decisão para o final de novembro ou início de dezembro.

Além disso, os presidentes das entidades reforçaram o pedido de participar da elaboração do cronograma de desligamento do sinal analógico, que também está bastante atrasado.

Anterior Radiodifusores rejeitam fim de proteção a direitos autorais no Marco Civil da Internet
Próximos Telefônica Vivo vai distribuir R$ 187 milhões aos acionistas em 30 de setembro