Encalhe de notebooks educacionais leva Positivo a prejuízo em 2017


TeleSintese-Grafico-Negativo-Seta-caindo-baixando-investimento-resultado-lupa-Fotolia_134603692

 

A Positivo Tecnologia, fabricante de PCs e smartphones, registrou prejuízo em 2017. A companhia explica que o resultado negativo (veja os número na síntese abaixo) se deveu a fatores não recorrentes: a necessidade de dar baixa em um estoque de notebooks educacionais que não foram comprados pelos governos e o parcelamento de dívidas no âmbito do programa Refis. Sem isso, o resultado do ano teria sido um lucro de R$ 4,4 milhões, ainda assim, 50% menor que o obtido em 2016.

Mas a companhia paranaense tem o que festejar. As vendas de computadores, seu principal produto, voltaram a crescer no ano que passou, após seguidos tombos desde 2014. Foi um avanço de 71,3% ante 2016 para a companhia, enquanto o mercado em geral cresceu 15,6%.

E, embora os notebooks educacionais tenham encalhado, outras máquinas venderam bem para o setor público, que comprou 344,9% mais aparelhos da empresa em 2017. Com isso, o market share da Positivo no mercado de PCs aumentou 5,2 p.p., para 17,8%.

“Espera-se que a dinâmica favorável continue em 2018, acompanhando as projeções de crescimento da economia. De fato, dados coletados pela IDC apontaram crescimento do mercado de PCs de 37% em janeiro de 2018 em relação ao mesmo período de 2017”, afirma a Positivo, no relatório financeiro.

No mercado de celulares, os números são piores. A companhia teve retração de 26% no volume de aparelhos vendidos. Foram 1,7 milhão de celulares vendidos, dos quais, 1,1 milhão smartphones e 249 mil, feature phones. Segundo a empresa, os concorrentes menores (categoria na qual se enquadra) sofreram com a guerra de preços promovida pelas gigantes desse mercado, que concentram 80% das vendas. Em 2016, essas gigantes tinham 70% do mercado – conforme dados da IDC.

Resultados da Positivo Tecnologia 2017

Receita líquida: R$ 1,9 bilhão (↑ 9,6% sobre 2016)
EBITDA: R$ 77,1 milhões (↓ 47,8%)
Capex: R$ 43,1 milhões
Prejuízo líquido: R$ 47,6 milhões (vs. lucro de R$ 8,8 milhões em 2016)
Endividamento: R$ 140,1 milhões (↓ 36%)

4º Trimestre

No quarto trimestre de 2017, a Positivo registrou receita líquida de R$ 587,4 milhões, 49,8% maior que um ano antes. O EBITDA ajustado (sem itens não recorrentes ou variações cambiais) foi de R$ 142,3 milhões. E o prejuízo líquido ajustado foi de R$ 1,3 milhão.

Anterior Senado prorroga por 60 dias vigência da MP 810 que altera a Lei de Informática
Próximos STJ diz que “vingança pornográfica” é grave forma de violência de gênero