Empresas nacionais se reúnem para definir consórcio do WiMAX


Está marcada para hoje uma reunião das quatro empresas nacionais – Asga, Icatel, Padtec e Trópico – que deverão integrar um consórcio que absorverá tecnologia da família de equipamentos WiMAX que está sendo desenvolvida pelo CpqD. A quinta candidata a integrar o consórcio, a gaúcha Parks, teria desistido da empreitada. O projeto está sendo desenvolvido …

Está marcada para hoje uma reunião das quatro empresas nacionais – Asga, Icatel, Padtec e Trópico – que deverão integrar um consórcio que absorverá tecnologia da família de equipamentos WiMAX que está sendo desenvolvida pelo CpqD. A quinta candidata a integrar o consórcio, a gaúcha Parks, teria desistido da empreitada.

O projeto está sendo desenvolvido pelo CPqD, com recursos do Funttel, o fundo de desenvolvimento de tecnologia de telecomunicações. No final do ano passado foram aprovados R$ 33 milhões para o projeto WiMAX, para um período de três anos. São R$ 21 milhões para a Ciatec, do Rio Grande do Sul, fazer o desenvolvimento do chip, e R$ 11 milhões para o CpqD. O agente repassador dos recursos será o BNDES, a quem cabe escolher a empresa ou as empresas que receberão a tecnologia.

No momento, segundo fontes ligadas ao projeto, o consórcio está em fase de definição jurídica. As empresas que o integrarem terão que aportar recursos para receber a tecnologia e industrializar os produtos. De acordo com Hélio Marcos Graciosa, presidente do CPqD, em entrevista ao Tele.Síntese no final de 2007, o primeiro produto wireless do CPqD deverá chegar ao mercado ainda neste semestre.

Anterior Sony lidera disputa entre formatos de DVD de alta definição
Próximos Telecom Italia reafirma independência, amplia investimentos e acelera a 3G.