Empresas de mídia terão um bom ano, aposta S&P.


 A Standard&Poor's faz uma avaliação positiva do desempenho das empresas de mídia do Brasil, Argentina e México para este ano, os três países os quais a  S&P acompanha o desempenho dos grandes grupos de comunicação. Na avaliação da consultoria de análise de riscos, haverá aumento no faturamento dessas empresas provocado pelo incremento das verbas publicitárias, …

 A Standard&Poor's faz uma avaliação positiva do desempenho das empresas de mídia do Brasil, Argentina e México para este ano, os três países os quais a  S&P acompanha o desempenho dos grandes grupos de comunicação. Na avaliação da consultoria de análise de riscos, haverá aumento no faturamento dessas empresas provocado pelo incremento das verbas publicitárias, gerado pelo crescimento do PIB.

Em seu relatório divulgado este mês, enquanto a TV aberta argentina ficou com 35% das verbas publicitárias do ano passado (os jornais ficaram com 32,5%), no Brasil, a TV aberta abocanhou 59,4% do bolo publicitário. No México, a concentração é ainda maior: 71% das verbas publicitárias foram destinadas às emissoras de TV.

A TV paga, por sua vez, galga, paulatinamente, a preferência dos anunciantes. Na Argentina, em 2002, 4,2% das receitas publicitárias foram destinados para a TV por assinatura, percentual que cresceu para 7% em 2007. No Brasil, a participação é menor, mas também crescente: em 2002, a TV paga contou com 1,9% da verba publicitária e, em 2006, com 3%.

( Da Redação ) 

 

Anterior Provedores de internet se queixam do predomínio das teles no mercado
Próximos BNDES: R$ 1,5 bilhão para rede GSM da Vivo