Empresas brasileiras lideram em disposição para adotar novas tecnologias na AL


Um percentual de 35% das empresas brasileiras desejam estar entre as primeiras a adotar novas tecnologias para suas operações. Enquanto 32% de companhias que adotam cedo as ferramentas tecnológicas preferem constatar experiências semelhantes. Por sua vez, 23% das empresas do país adotam tecnologia quando é indispensável e só 9% se nega a implementá-las, salvo quando é realmente necessário.

É o que mostra o Barômetro de Mobilidade da Motorola Solutions (Motorola Solutions Mobility Barometer), estudo que identifica os indicadores das oportunidades e desafios da mobilidade de empresas e entidades governamentais, mediante a coleta de informações diretas de organizações que estão investindo em soluções tecnológicas e em sua implantação. As pesquisas, feitas pela agência de pesquisas TNS Internacional, incluíram aproximadamente 375 executivos-chave de TI e negócios da Argentina, Brasil, Colômbia e México.

A Colômbia conta com 17% de empresas dispostas a serem as primeiras a adotar as inovações e 21% de empresas que as adotam rapidamente, mas depois de ver os resultados alheios.   Depois da Colômbia, a Argentina é o país mais receptivo no que diz respeito a tecnologia: 11% de suas empresas fazem parte das primeiras organizações que buscam ferramentas tecnológicas, enquanto 22% estão prestes a implementá-las depois de uma minuciosa análise. O México é o país que mais resiste a implementar novas tecnologias na América Latina. 23% das empresas não estão dispostas a implementá-las se não for realmente necessário, enquanto 48% só fazem quando a tecnologia é amplamente aceita por outras empresas.

“O Barômetro de Mobilidade da Motorola Solutions demonstra que o Brasil é o país mais disposto a adotar soluções tecnológicas na América Latina, tendo 67% de empresas proativas no momento de fazer este tipo de implementação. É uma tendência que chega cada vez mais forte à região, devido aos inúmeros benefícios que a tecnologia oferece. Cada vez mais as empresas entendem que só através da tecnologia conseguirão aumentar sua produtividade com mais rapidez”, diz Miguel Martinez Noguerol, vice-presidente corporativo de Vendas e Operações, América Latina e Caribe.(Da redação, com assessoria de imprensa).

Anterior Unotel encerra parceria com Oversi
Próximos Sorteio da Copa consumiu 3 Terabytes, com 1,8 mil jornalistas conectados