Empresas de tecnologia aguardam  a regulamentação do pagamento móvel (mobile payment) pelo Banco Central para iniciar a oferta de serviços no Brasil. A Logica, por exemplo, que já tem plataforma de pagamento móvel tanto via rede de dados quanto SMS, tem 24 projetos em andamento com instituições financeiras, mas ainda não conseguiu fechar negócios. 

Outra companhia que aposta forte no pagamento móvel no Brasil, dessa vez via NFC (Near Field Communication), é a japonesa NTT Data, grupo especialista em inovação em telecomunicações. A companhia chegou ao país no final do ano passado e já tem expectativa de alcançar faturamento de R$ 1 bilhão em 2014, assentado na oferta de plataformas para o sistema financeiro, entre elas, a de pagamento móvel. Nesta semana no Brasil, o diretor da companhia Tadashi Uhira se reuniu com o Banco Central local, mas informou que as discussões ficaram restritas a processos.

Para o gerente de plataforma e serviços da companhia, Michihiko Yoden, as soluções de pagamento móvel podem ajudar o país a incluir novos clientes no sistema financeiro, uma vez que uma boa parcela dos brasileiros não dispõem de conta no banco, um cenário que deve mudar rapidamente nos próximos anos.  

Esta também é a aposta da Logica. De acordo com o diretor de vendas, Paulo Sérgio Martins, a empresa está se preparando para oferecer a plataforma Mobile para empresas de crédito pessoal, de forma que não seja necessário ir até a agência para contratação. “Muita gente não gosta do ambiente agência e poderia contratar o crédito pessoal a partir de um dispositivo móvel”, aposta Martins.

Segundo ele, a solução da Logica teria boa entrada no mercado local porque não exige rede de dados, que ainda percisa de melhorias em termos de capacidade. As informações seriam transmitidas em um sistema semelhante ao SMS. Para isso, a Logica pretende adquirir pacote de grande volume de operadoras e reduzir o custo da mensagem no total do serviço. 

Outra grande aposta da Logica é na área de oferta de microseguros para viagens, bagagem, animais de estimação, etc. Segundo Martins, a Logica aguarda uma posição do Comitê de Tecnologia da Superintendência de Seguros Privados, que deve sair ainda na primeira quinzena de julho, para fechar negócios. 

As duas empresas estão presentes no Congresso e Exposição de Tecnologia da Informação das Instituições Financeiras (CIAB) 2012, em que são apresentadas as últimas tecnologias na área.