Empresa de risco rebaixa nota da Oi


A empresa de análise de risco Moody’s rebaixou a nota da Oi para Ba3. A decisão foi divulgada ontem à noite pela empresa. Diz, ainda, que a perspectiva é negativa, ou seja, pode rebaixar novamente a operadora no futuro. O motivo para a avaliação negativa é o alto endividamento da tele e altos gastos, o que comprometeria a flexibilidade financeira.

Segundo a Moody’s, o plano de reestruturação e corte de despesas que vem sendo implementado pela Oi pode ser insuficiente devido a um cenário de redução de margem e mix de produtos desfavorável (com TV e banda larga) e política de preços tradicionalmente orientada à baixa renda. A situação da economia brasileira afetaria diretamente o consumo dos clientes da Oi.

Para a empresa de avaliação de risco, a operadora se encontra em posição difícil, pois reduzir ainda mais seus custos pode significar perda de competitividade e problemas operacionais. Acredita, também, que a Oi continuará a ter caixa negativo até 2017.

A Moody’s também baixou a nota da Portugal Telecom International Finance, que detém parte da dívida da antiga PT Portugal, vendida ao grupo francês Altice neste ano. Esta dívida é garantida pela Oi. Ressalta que a venda ajudou no caixa, mas teve pouco impacto sobre a redução da dívida da companhia brasileira.

Além disso, afirma que as concorrentes Telefônica Brasil e América Móvil estão capitalizadas e com planos de realizar altos investimentos no Brasil, seja de forma orgânica, pelo CAPEX ou adquirindo espectro, seja por aquisições. Por sua vez, a Oi tem garantido caixa para 12 a 18 meses, alto CAPEX, e não deve gerar fluxo de caixa positivo até 2018, “dependendo do mercado de capitais para prorrogar a maturação da dívida”, analisa.

A empresa diz que pode rebaixar mais a nota da concessionária caso a alavancagem continue em 5x o EBITDA por muito tempo, sem dizer quanto, ou se a Oi não mostrar ser capaz de reduzir os gastos. A nota pode ser revista para cima caso a alavancagem seja reduzida para 3,75x e o fluxo de caixa volte ao azul.

Anterior Anatel dá anuência para migração ao SeAC de operadora de TV paga de família Maiorana, no Pará
Próximos Anatel fará audiência sobre fim de outorga para WiFi e pequeno provedor