Embratel reclama que sua tarifa vai cair mais do que a VUM


A Embratel é outra empresa, mesmo sendo de telefonia fixa, que não gostou da proposta da Anatel de reduzir a tarifa das ligações fixo/móve (VC) para provocar queda na tarifa de interconexão do celular. Para a carrier, a agência não pode previamente ampliar o índice de produtividade da telefonia fixa, que acumulou, nos últimos cinco anos, 22%. Para a operadora, a Anatel, ao propor que a redução da VUM seja de apenas 85% do valor nominal da VC, está fazendo uma redução  não equânime e impedindo que os investimentos na rede de transporte se ampliem.

As receitas de longa distância com a telefonia fixa representam 45% do total das receitas da Embratel, e são esses recursos que permitem a empresa ampliar seus investimentos para competir com as concessionárias locais.

“Assim, diante do exposto, a Embratel  entende ser o presente regulamento, na forma proposta, inoportuno, tendo em vista que os reajustes das tarifas de VC-1, VC-2 e VC-3 das concessionárias há muito já ocorrem adotando-se a produtividade estabelecida para o reajuste da tarifa fixo-fixo e que em nada atrapalharia o mercado de chamadas envolvendo terminal SMP se esta consulta pública fosse realizada somente após a definição do modelo de custos a ser utilizado na determinação do VUM, conclui.

PUBLICIDADE

Leia a íntegra da aqui

Anterior Telebrás adia pregão para aquisição de enlaces de rádios
Próximos Oi também critica proposta da Anatel e quer manter margem entre VC e VUM