Embratel lança rede de dados em banda Ka


Com o novo satélite Star One D1, a Embratel coloca no mercado a rede corporativa de dados em banda Ka para atender empresas instaladas em áreas com pouca ou nenhuma infraestrutura de telecomunicações, como redes de postos de gasolina, comércio e hotéis. Dessa forma, podem conectar seus escritórios centrais com filiais via satélite, transmitindo informações em tempo real. A solução em banda Ka disponibiliza velocidades de 4 Mbps (download) com 1 Mbps (upload) ou 8 Mbps (download) com 2 Mbps (upload), possibilitando configurações de redes de dados de alta performance.

“Já temos soluções de rede de dados em bandas Ku e C. Com a nova oferta também em banda Ka, ampliamos nosso portfólio e passamos a prover mais possibilidades para atender às novas demandas de tráfego de empresas que, até então, não tinham acesso a soluções de telecomunicações com qualidade e confiabilidade”, explica Gustavo Silbert, diretor Executivo da Embratel Star One.

A banda Ka terá um forte papel no atendimento a demandas por conectividade nos próximos anos, pois chega em regiões com grande demanda de tráfego. Em locais não cobertos pela banda Ka, é possível utilizar a banda Ku, formando uma rede única.

O Infosat Prime possibilita a formação de redes de dados privativas mesmo sem a existência de infraestrutura de telecomunicações terrestre e independente de concessionárias locais. A oferta, de acordo com a empresa, permite fácil integração com redes MPLS Embratel, gerando uma solução completa por meio de um único fornecedor. O cliente também pode utilizar o serviço para rápida expansão das redes existentes em seus escritórios ou como backup de redes oferecidas no mercado.

O serviço Infosat Prime pode ser contratado conforme as demandas das empresas, acompanhando seu ritmo de crescimento. O pagamento mensal é fixo. Todos os equipamentos são fornecidos pela Embratel, além de assistência técnica disponível 24 horas por dia, 7 dias por semana. (Assessoria de Imprensa)

Anterior Oi vai receber R$ 2,05 bilhões em créditos fiscais ao longo de três anos
Próximos Vivo reciclou 2,7 milhões de itens eletrônicos em 2018