Embratel anuncia satélite D1, em banda Ka, para 2016


A Star One, operadora de satélites da América Latina e subsidiária da Embratel, anunciou um novo satélite, o Star One D1, que exigirá aporte de US$ 400 milhões. O D1 é o maior satélite já construído pela Star One e inicia a quarta geração de satélites da companhia, a família D, com foco na Banda Ka – tecnologia que disponibiliza internet e banda larga de baixo custo via satélite. O Star One D1 será equipado com as Bandas C, Ku e Ka, ampliará a capacidade satelital da empresa no Brasil, nas Américas do Sul e Central, incluindo o México e tem lançamento previsto para o primeiro trimestre de 2016.

De acordo com José Formoso, presidente da Embratel e do Conselho de Administração da Star One, o D1 oferece capacidade para empresa para transmissões de dados, backhaul de telefone celular e atendimento ao Plano Nacional de Banda Larga (PNBL), programa governamental de inclusão digital. 

“Com o novo satélite, reforçamos nossa liderança absoluta no mercado brasileiro e nosso posicionamento como uma das dez maiores empresas de satélite do mundo”, diz Gustavo Silbert, presidente da Star One.

O Star One D1 irá assumir a posição orbital de 84° W, garantindo a continuidade dos serviços em Banda C do Brasilsat B4. Ele terá ainda nova capacidade em Banda Ku para atender às demandas de dados, vídeo e Internet de clientes corporativos e de governo no Brasil, nas Américas do Sul e Central, incluindo o México. A cobertura de Banda Ka do novo satélite vai abranger as regiões Nordeste, Sul, Sudeste e partes das regiões Norte e Centro-Oeste do Brasil.

O Star One D1 será construído pela empresa canadense-americana Space Systems Loral e lançado ao espaço por foguete da empresa francesa Arianespace. Pesará cerca de 6 toneladas e possui configuração de 28 transponders (receptores e transmissores de sinais) em Banda C, 24 em Banda Ku e cerca de 300 transponders equivalentes de 36 MHz em Banda Ka. A Banda C garante a oferta de sinais de voz, TV, rádio e dados, incluindo Internet. A Banda Ku permite a oferta de serviços de transmissão de vídeo diretamente aos usuários, além de Internet e telefonia para localidades remotas. Já a Banda Ka viabiliza acesso à banda larga de baixo custo via satélite e transmissão de dados em alta velocidade.

Além disso, o Star One D1 terá capacidade para atender futuras demandas que surgirão com as Olimpíadas de 2016, já que será lançado no início do ano, além de poder ser utilizado por grandes empresas e por aplicações do governo. Vale destacar, ainda, que os satélites da Star One são capazes de receber e transmitir sinais de televisão, rádio, telefonia, Internet e dados para aplicações de entretenimento, telemedicina, tele-educação e negócios, necessários para a interligação dos países da América Latina e essenciais para as comunidades mais distantes. (Da redação)

Anterior Sancionada a lei que altera arrecadação de direitos autorais de obras musicais
Próximos Google, Facebook e Microsoft negam adesão ao programa de espionagem dos EUA