Embrapii amplia parcerias


shutterstock_Vichy Deal_geral_abstrata_P&D_pesquisa_laboratorio

Os ministros da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, e da Educação, Mendonça Filho, anunciaram nesta quarta-feira (6) o credenciamento de mais cinco unidades e quatro polos pela Empresa Brasileira de Pesquisa e Inovação Industrial (Embrapii). Selecionados por duas chamadas públicas, os nove institutos reforçam a presença direta da organização social nas regiões de Belo Horizonte (MG), Curitiba (PR), Florianópolis (SC), João Pessoa (PB), Machado (MG), Rio Verde (GO), São Leopoldo (RS) e Três Lagoas (MS).

Segundo Kassab, os planos de ação das novas unidades totalizam R$ 149 milhões – sendo R$ 52 milhões do governo federal. “A Embrapii vem se consolidando [diante da indústria] no mesmo caminho percorrido pela Embrapa em relação à pesquisa agropecuária”, destacou o ministro. “Percebemos que ela tem conseguido avançar na atração de instituições capazes de estabelecer parcerias que contribuam para o desenvolvimento da pesquisa e inovação.”

O presidente do Conselho de Administração da Embrapii, Pedro Wongtschowski, ressaltou que, com os novos credenciamentos, a organização social alcança diretamente 14 estados e o Distrito Federal, onde 42 instituições credenciadas atendem a segmentos do agronegócio, da indústria e do setor de serviços. “Enxuta e eficiente, com apenas 25 funcionários, a Embrapii atingiu plenamente os compromissos que assumiu no contrato de gestão”, comentou o dirigente, ao informar que as 33 unidades em funcionamento desenvolveram 284 projetos sob demanda empresarial.

Dentre os recém-aprovados, estão os institutos Senai de Inovação em Biomassa, localizado em Três Lagoas; em Eletroquímica, de Curitiba; em Metalurgia e Ligas Especiais, de Belo Horizonte; em Sistemas Embarcados, de Florianópolis; e em Soluções Integradas em Metalmecânica, de São Leopoldo; além dos campi dos institutos federais Goiano (IFGoiano) em Rio Verde, especializado em tecnologias agroindustriais; da Paraíba (IFPB) em João Pessoa, cuja área de competência são sistemas de manufatura; de Santa Catarina (IFSC) em Florianópolis, em sistemas inteligentes de energia; e do Sul de Minas (IFSuldeMinas) em Machado, voltado à agroindústria do café.

“Essas instituições têm, cada uma, um plano de ação com metas para atender, em prazo certo, um número mínimo de empresas, desenvolvendo para elas projetos de pesquisa e inovação em suas áreas de competência”, afirmou Wongtschowski. “Esse é o desafio e confiamos: terão condição de superar.”

O diretor de Educação e Tecnologia da Confederação Nacional da Indústria (CNI) e diretor-geral do Senai, Rafael Lucchesi, lembrou a decisão de criar 25 institutos Senai de Inovação e 57 institutos Senai de Tecnologia nos últimos seis anos. “Para isso, estamos mobilizando um investimento de R$ 2,5 bilhões, com R$ 1,5 bilhão financiado pelo BNDES”, apontou. “Os institutos atuam em rede, até porque o processo inovativo é interdisciplinar. Já tínhamos cinco deles credenciados como unidades da Embrapii. Agora são 10.” (assessoria de imprensa)

Anterior Goldman Sachs amplia posição na Oi
Próximos Huawei avança em produtos WAN