Embate sobre tarifa de rede móvel e EILD


 Com a posição da Oi, que durante o Fórum Acel voltou a defender a necessidade de redução da VU-M (tarifa de uso da rede móvel), houve uma forte reação das operadoras móveis. Para o diretor de regulamentação da TIM, Mario Girasole, a VU-M tem para as operadoras móveis a mesma importância que a assinatura básica …

 Com a posição da Oi, que durante o Fórum Acel voltou a defender a necessidade de redução da VU-M (tarifa de uso da rede móvel), houve uma forte reação das operadoras móveis. Para o diretor de regulamentação da TIM, Mario Girasole, a VU-M tem para as operadoras móveis a mesma importância que a assinatura básica tem para as fixas.

Para Alain Riviere, da Oi, o atual preço da VU-M está se tornando uma verdadeira barreira de terminação, pois está provocando um aumento muito maior no tráfego “on net” (tráfego na própria rede da empresa) do que no tráfego entre empresas. “É preciso haver um planejamento de redução dessa tarifa, pois ela está provocando práticas poucos saudáveis para o setor”, afirmou.

Para o diretor da Claro, Christian Wickert, o modelo de custos da rede móvel já está regulado ( e ele começará em 2010) e, no seu entender, não há nada que indique que os atuais preços praticados estão acima dos custos das operadoras. “É muito mais importante que a Anatel redefina a questão da EILD (oferta de capacidade da rede fixa para as grandes corporações) pois a 3G móvel depende fundamentalmente dessa infraestrutura para atender principalmente cidades de baixa densidade”, concluiu. 

Anterior No Brasil, celulares esgotam capacidade de banda em 2012.
Próximos Venda de sobras, licitação de 3,5 GHz e revenda saem em dois meses.