Em Parintins, saúde fala Wi-Fi e se conecta por satélite.


Semana que vem tem festa em Parintins (AM). Não a da disputa entre o azul e o vermelho dos Bumbás Caprichoso e Garantido que todo junho mais do que triplica a população de 50 mil habitantes da ilha situada à margem direita do rio Amazonas, numa área de 5.978 quilômetros quadrados, a 369 quilômetros da …

Semana que vem tem festa em Parintins (AM). Não a da disputa entre o azul e o vermelho dos Bumbás Caprichoso e Garantido que todo junho mais do que triplica a população de 50 mil habitantes da ilha situada à margem direita do rio Amazonas, numa área de 5.978 quilômetros quadrados, a 369 quilômetros da capital, Manaus, em linha reta, e a 420 quilômetros por via fluvial.

É um acontecimento povoado de antenas para comunicação Wi-Fi, micros em duas escolas, banda larga via satélite trafegando em 1 Mbps, com suporte das escolas de medicina da Universidade Estadual (UEAM) e da Federal (UFAM), além da prefeitura municipal.

Nos moldes do modelo de apoio primário do Ministério da Saúde, estudantes de medicina das duas faculdades do Amazonas, agentes da saúde da família e médicos locais, o projeto de atendimento telemático de Parintins é mais uma iniciativa “conectada” Intel, com participação da Cisco, Embratel, Faculdade de Medicina da USP, segundo informa um dos participantes do projeto, o professor Chao Lung Wen, da medicina da USP.

Anterior Banda larga volta a artilharia para a saúde
Próximos Só a tecnologia não salva vidas