Em junho, serviços de TI despencam 10,1%


Os serviços de informação e comunicação caíram 2,6% em junho ante maio, devolvendo parte do ganho acumulado de 3,2% registrado no mês passado. O pior desempenho veio do segmento de TI, que despencou 10,1%, seguido do segmento de audiovisual, que teve queda de 4%. Serviços de TIC variaram negativamente em 2,2% e os de telecomunicações, 0,3%.

Os resultados foram apresentados nesse sexta-feira, 9, durante a divulgação da pesquisa mensal de serviços do IBGE. De acordo com o instituto, os resultados foram influenciados pelos decréscimos de receita vindos das empresas dos ramos de desenvolvimento e licenciamento de programas de computador customizáveis, de atividades de TV aberta e de telecomunicações.

Na comparação com junho do ano passado, os serviços de informação e comunicação tiveram queda de 1,2%. Nessa comparação, o pior desempenho veio do segmento de audiovisual, que recuou 10,3% e o de telecomunicações, com queda de 1,6%. Serviços e TIC e TI tiveram resultados positivos, de 0,2% e 3,6%, respectivamente.

No semestre, os serviços de informação e comunicação apresentam percentual positivo de 2,6%, impulsionados pelo segmento de TI, que cresceu 13,1% e de TIC, com alta de 3,7%. Na outra ponto, os serviços de audiovisual e de telecomunicações recuaram nos primeiros seis meses de 2019, em 4,9% e 0,6%, respectivamente.

No acumulado dos últimos 12 meses , os serviços de informação e comunicação cresceram 1,9%. Novamente, os segmentos de audiovisual e telecomunicações mantiveram índices negativos, de 5,9% e 0,6%, respectivamente. Já o segmento de TI apresenta alta de 11% e o de TIC, de 3,1%.

De acordo com o IBGE, exerceram o principal impacto positivo sobre o índice global no semestre, o aumento da receita das empresas que atuam nos segmentos de portais, provedores de conteúdo e outros serviços de informação na internet.

Nacional

Segundo a pesquisa, o volume de serviços no Brasil recuou 1% em junho de 2019, na comparação com o mês anterior, eliminando, portanto, o ganho acumulado de 0,5% observado entre abril e maio. Em relação a junho de 2018, o volume de serviços caiu 3,6%.

No acumulado do ano, o setor de serviços cresceu 0,6%, com ligeira perda de dinamismo frente ao segundo semestre de 2018 (0,8%). Já o acumulado nos últimos 12 meses, ao passar de 1,1% em maio para 0,7% em junho de 2019, voltou a assinalar perda de ritmo de crescimento.

Anterior TIM quer escalonamento das metas para infraestrutura
Próximos Brasil poderá ter Unicórnio agrário, prevê fundo de investimento SP Ventures

Sem comentários

Deixe o seu comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *