Em 2023, 5G terá 1 bilhão de assinantes, prevê Ericsson


chinaunicom-gigabit-launch_retouch-3_594x335_90_244009Ao final de 2023, o 5G cobrirá mais de 20% da população mundial e já terá um bilhão de assinantes, dos quais 26 milhões na América Latina. Naquele ano, o tráfego estimado será de 110 Exabytes, equivalentes a 5,5 milhões de anos de streaming de vídeo em HD. Esses são alguns dos dados que integram a edição de novembro do Ericsson Mobility Report, lançado hoje, 26, que informa que as As primeiras redes comerciais baseadas no 5G New Radio (NR) são esperadas para entrar em funcionamento em 2019, com grandes implantações a partir de 2020. Implementações antecipadas de 5G estão previstas em vários mercados, incluindo os EUA, Coreia do Sul, Japão e China.

Segundo o relatório, a estimativa é de que o LTE, que até o final deste ano será a tecnologia de acesso dominante, alcance, em 2023, 5,5 bilhões de assinaturas, atingindo mais de 85% da população mundial até o final de 2023.

Já a tecnologia Voz sobre LTE (VoLTE) já está presente em mais de 125 redes, em mais de 60 países, em todas as regiões. As assinaturas VoLTE são projetadas para chegar a 5,5 bilhões até o final de 2023, representando mais de 80% das assinaturas de 5G e LTE combinadas. O estudo menciona que os relógios inteligentes são um dos dispositivos mais recentes a usar VoLTE. Os usuários são capazes de fazer chamadas de voz diretamente do relógio inteligente, sem a necessidade de ter um smartphone nas proximidades (multi-SIM). As chamadas também podem ser transferidas entre o smartphone e o relógio do usuário.

Georgia Sbrana, vice-presidente de Marketing, Comunicação e Relações com o Governo da Ericsson Brasil destaca, entre as novidades do relatório, o fato de ele o surgimento de novos casos de uso, conforme a capacidade da rede evolui – relógios inteligentes, alarmes de IoT e manutenção e reparos assistidos por realidade aumentada, para citar alguns. “Enquanto nos preparamos para o 5G, essas tendências continuarão a definir a agenda para o setor móvel no futuro”, diz.

O relatório também apresenta três artigos sobre tendências crescentes do setor:

. A mudança nos planos de dados móveis – examina a movimentação para planos cada vez maiores, bem como o consumo real de dados dentro de diferentes planos.

. O aprimoramento da experiência de evento – mostra como organizadores e operadores de eventos podem atender às necessidades dos visitantes para mais serviços digitalizados e experiências imersivas.

. As expectativas da geração do milênio para 5G – explora como essa faixa etária percebe sua experiência com dispositivos móveis, suas expectativas sobre o 5G e o que seus pontos de vista implicam aos operadores.

Relatórios regionais para a Europa Ocidental, Europa Central e Oriental, Oriente Médio, África e América Latina também foram publicados, juntamente com o relatório global do Ericsson Mobility Report. (Assessoria de Imprensa)

Anterior Gonçalves: Redes híbridas e o fim das barreiras físicas
Próximos Aprovada lei que prevê divulgação clara de preços na internet