Em 2017, celulares perderam 7,5 milhões de clientes, mas pós-pago cresceu


celulares aplicações mercado aparelhos baseO movimento de queda das linhas celulares, iniciado com o fim do efeito clube e do uso de vários chips pelo mesmo usuário, ainda não estancou. Segundos os dados divulgados hoje, 31, pela Anatel, a telefonia móvel registrou 236.488.548 linhas em operação em dezembro de 2017. Nos últimos 12 meses, houve redução de 7.578.808 linhas (-3,11%). Além disso, no mês de dezembro, em relação ao mês anterior, o serviço móvel pessoal apresentou uma queda de 2.603.234 linhas (-1,09%).

É interessante destacar, seguindo tendência já registrada em outros meses, apesar da queda do número total de linhas, o seguimento pós-pago continua em crescimento. No ano de 2017, o pós-pago aumento de 8.611.402 linhas (+10,85%). Já o pré-pago registrou diminuição de 16.190.210 linhas (-9,83%), pois é justamente nesse segmento que se concentravam os usuários de múltiplos chips.

Do total de linhas móveis do país, 148.509.361 são pré-pagas e 87.979.187 são pós-pagas. No mês de dezembro de 2017, quando comparado ao mês anterior, as linhas móveis pré-pagas apresentaram queda de 3.582.840 unidades (-2,36 %) e as pós-pagas crescimento de 979.606 (+1,13%).

Posição das empresas

Em dezembro de 2017, as empresas com maiores quantitativos de linhas móveis foram: Vivo (74.939.872), Claro (59.022.019), Tim (58.634.435) e Oi (38.942.433).

Nos últimos 12 meses, das grandes operadoras, só a Vivo apresentou aumento da base, com + 1,57%, fechando 2017 com 1.161.979 linhas. Os demais grupos – Claro, TIM, Oi, Algar Telecom e Sercomtel – apresentaram redução de clientes.

Entre as demais operadoras celulares, a Datora teve aumento de 100.267 linhas móveis (+99,36%), a Porto Seguro de 110.112 linhas (+ 24,34 %), a Nextel de 199.454 (+7,71%).

Na comparação de dezembro 2017 com o mês anterior, as empresas  Algar, Datora, Nextel, TIM e Telefônica (Vivo) registraram crescimento. Já as outras prestadoras da telefonia móvel apresentaram redução (Oi, Porto Seguro, Sercomtel e Claro).

Também no mês de dezembro tanto Oi quanto Claro perderam mais de 1,5 milhão de linhas cada, devido à retirada de números inativos.

Tecnologias

De janeiro a dezembro do ano passado, as linhas 4G (LTE) apresentaram crescimento de 42.133.684 unidades (+70,10%). As utilizadas em aplicações máquina-máquina (M2M), como telealarmes, automação residencial e rastreamento de automóveis, também tiveram aumento de 2.483.743 linhas.

Na comparação de dezembro de 2017 com o mês anterior, foi registrado crescimento das linhas 4G em 3.445.344 unidades (+ 3,49%), e também das utilizadas em aplicações M2M, com mais 154.218 linhas. As outras tecnologias: CDMA (2G), GSM (2G), Dados banda larga (3G) e WCDMA (3G) apresentaram redução. (Com Assessoria de Imprensa)

Anterior Claro Brasil inicia projeto de renovação do backbone já de olho na 5G
Próximos Na Claro, mensagens RCS vão consumir franquia de dados