TeleSintese-reuniao-ideias-debate-conversa-mesa-bate-papo-informacoes

O fundo norte-americano Elliott decidiu investir na Telecom Italia neste ano. Até o momento, registra ter mais de 3% das ações. Publicamente, afirma já possuir 5% do capital da companhia de telecomunicações europeia, que é dona da TIM Brasil.

O investimento mira mudanças na governança. Segundo o site de notícias Bloomberg e o jornal britânico Financial Times, o Elliott já tenta retirar do conselho de administração da operadora ao menos seis executivos indicados pela Vivendi,dona de cerca de 25% do capital da TIM, incluindo o atual presidente do conselho, Arnaud de Puyfontaine (também CEO do grupo Vivendi).

Segundo o fundo norte-americano, o conselho capitaneado pela Vivendi teria cometido erros estratégicos que reduziram o potencial de ganho dos investidores que compraram ações da Telecom Italia. Diz considerar que a operadora não tem um plano estratégico.

Para solucionar os problemas que aponta, sugere a indicação de conselheiros independentes e a realização de um IPO (oferta pública de ações) da unidade de rede fixa que será criada nos próximos meses.

Vivendi rebate

Por sua vez, a francesa afirma que analisará as sugestões com “mente aberta”. Mas respondeu, em comunicado, que o fundo Elliott é famoso por suas “iniciativas de curto prazo”, e que ele teria não apenas capital social da Telecom Italia, como se beneficia de outros instrumentos financeiros não divulgados.

“De qualquer forma, não acreditamos que um plano para desmantelar o Grupo e desestabilizar nossos times poderá criar valor, uma vez que o plano industrial apresentado por Amos Genish e suas equipes é poderoso e promissor. As decisões tomadas recentemente já dão frutos e foram bem recebidas pelos investidores”, afirma a Vivendi, em comunicado.

A próxima reunião de acionistas da Telecom Italia, em que haverá votação de nomes para o conselho, acontece em 24 de abril.