Eletronorte não compartilha fibra; vende serviços de telecom ao mercado.


Desde a MP 579/2012, que definiu o novo marco que sugou recursos do setor elétrico, a Eletronorte, como outras companhias, passou a buscar receita também em outras atividades. Uma delas o setor de telecom. Com a chegada de sua rede de serviços de telecomunicações em Manaus, prevista para meados deste ano, a Eletronorte completa sua oferta em toda a Amazônia Legal. A companhia também está presente nos estados do Mato Grosso e Maranhão

De acordo com Bernardo Villaverde Carvalho, da área comercial da gerência de telecomunicações da empresa, a Eletronorte oferece dois produtos ao mercado, sempre sob a forma de serviços. “Não compartilhamos, nem fazemos swap de fibra”, explicou ele, ao participar ontem do Encontro Provedores Regionais Manaus, realizado pela Bit Social, com apoio institucional da Momento Editorial, Abrint (Associação Brasileira de Provedores de Internet e Serviços de Telecomunicações) e Apriam (Associação dos Provedores de Internet da Amazônia).

Após a decisão de agregar valor à sua rede óptica, que corre paralela às linhas de transmissão para fazer a gerência de sua performance, a Eletronorte formatou um produto para operadoras – carrier de carriers – e outro para provedores regionais – serviço Ethernet. Segundo Carvalho, a Eletronorte já conta com 70 clientes desses serviços.

Anterior Sky britânica também quer a O2 da Telefónica
Próximos Telecom Italia amplia recompra de dívida