Eletrônicos de consumo oferecem banda larga sem fio


Câmeras digitais, media players portáteis, dispositivos manuais de jogos e outros eletrônicos portáteis de consumo estão começando a oferecer opções de conexão em banda larga móvel. Por isso, estudo recente da ABI Research aponta que as vendas anuais de tais eletrônicos devem ficar próximas de US$ 50 bilhões, por volta de 2012. A curto prazo, …

Câmeras digitais, media players portáteis, dispositivos manuais de jogos e outros eletrônicos portáteis de consumo estão começando a oferecer opções de conexão em banda larga móvel. Por isso, estudo recente da ABI Research aponta que as vendas anuais de tais eletrônicos devem ficar próximas de US$ 50 bilhões, por volta de 2012. A curto prazo, comenta a ABI, esses dispositivos vão operar sobre conexões 3G, mas a fragmentação desse mercado representa “significativo desafio”.

Segundo o estudo, as plataformas Snapdragon da Qualcomm e Mobile Extreme Convergence (MXC) da Freescale vão sustentar a oferta de dispositivos baseados em celulares, e um amplo ecossistema de fornecedores de chips WiMAX vão suportar dispositivos com essa tecnologia embutida.

“No longo prazo, em termos de conexão, o potencial de produtos baseados em WiMAX é maior do que os baseados em celulares”, avalia o analista Philip Solis. Isso porque, acrescenta, trata-se de uma rede IP, de arquitetura mais simples e melhor conexão com a internet. “A Sprint, com sua rede nacional WiMAX, vai estimular a oferta desses dispositivos, conclui Solis. (Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior NextWave compra a IPWireless
Próximos O poder do açúcar