Eletronet: deputado do PT critica a compra e senador do PMDB a defende.


 A intenção do governo de comprar a rede Eletronet (uma rede de fibra de 12 mil quilômetros, que presta hoje serviço de telecomunicações às concessionárias de energia elétrica) para transformá-la em um backbone estatal está dividindo a própria base parlamentar do governo. No 51º Painel Telebrasil, que se realiza na Bahia,  enquanto o deputado petista, …

 A intenção do governo de comprar a rede Eletronet (uma rede de fibra de 12 mil quilômetros, que presta hoje serviço de telecomunicações às concessionárias de energia elétrica) para transformá-la em um backbone estatal está dividindo a própria base parlamentar do governo. No 51º Painel Telebrasil, que se realiza na Bahia,  enquanto o deputado petista, Walter Pinheiro, teceu críticas ao projeto, o senador peemedebista, Wellington Salgado, elogiava-o.

Para Walter Pinheiro (PT/BA) o governo deve criar, rapidamente, o Programa Nacional de Banda Larga, e deverá contar, para isso, com a capilaridade das redes existentes. “Não acho que a Eletronet possa cumprir esse papel. Essa rede não deve ser a ação principal do governo no projeto de inclusão digital”, afirmou.

Já Wellington Salgado (PMDB/MG), disse, por outro lado, que o governo precisa comprar a Eletronet para poder transportar as informações governamentais. “O governo precisa de uma linha de transmissão segura, e a Eletronet é a alternativa”, justificou.

Já o novo coordenador da inclusão digital do governo, o assessor especial da Presidência da República, Cezar Alvarez, depois de ouvir uma saravaida  de críticas das empresas de telecomunicações, de que o governo não tem um projeto estratégico para o setor, foi taxativo: “O governo Lula quer implantar banda larga nas 170 mil escolas públicas brasileiras” e convocou as empresas privadas a apresentarem um projeto facctível para que essa meta seja cumprida.

Anterior Telebrás e VT Um: Costa nega envolvimento em acordo
Próximos Mazoni oficializado no comando do Serpro