Ebitda da Embratel cresce 20% no semestre


De janeiro a junho de 2006, a receita líquida da carrier cresceu 8,5% ano contra ano, totalizando R$ 4,1 bilhões. A Embratel divulgou resultados hoje, 25, após encerramento do pregão da Bovespa. No acumulado, a receita líquida totalizou R$ 4 bilhões, com aumento de 8,5%. O EBITDA (medida do fôlego da empresa – lucro antes …

De janeiro a junho de 2006, a receita líquida da carrier cresceu 8,5% ano contra ano, totalizando R$ 4,1 bilhões. A Embratel divulgou resultados hoje, 25, após encerramento do pregão da Bovespa. No acumulado, a receita líquida totalizou R$ 4 bilhões, com aumento de 8,5%. O EBITDA (medida do fôlego da empresa – lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de R$ 513 milhões no 2T06, e de R$ 1 bilhão até junho. No primeiro semestre, o EBITDA cresceu 19,7 %.

O lucro operacional (EBIT) totalizou R$ 226 milhões no trimestre encerrado em junho, e R$ 467 milhões no primeiro semestre deste ano (+ 41%). O lucro líquido do 2T06 foi de R$ 132 milhões e de R$ 260 milhões no acumulado (+ 90 %).

Em 30 de junho, a dívida líquida era de R$ 1,4 bilhão. O investimento total no 2T06 atingiu R$ 287 milhões. No acumulado do ano, o CapEx total foi de R$ 610 milhões.

A participação da Embratel na Net passou de 37,1% para 43%.

Receita local em expansão

No 2T06, a receita líquida total foi de R$ 2 bilhões, mais 10% sobre igual trimestre de 2005. A expansão das receitas foi resultado de um ganho de 30% na receita de comunicação de dados; de 34% na local; e de 7% na de outros serviços, compensando uma queda de pouco mais de 1% na receita de voz de longa distância. Atualmente, a receita de voz de longa distância representa 57% da receita total, abaixo dos 64% de há um ano.

Em relação ao 1T06, a receita líquida ficou praticamente estável. O crescimento de 9% na receita local, combinado com expansão de 3% na receita de dados e de 3% na de  outros serviços compensou a queda de 3% na receita de voz de longa distância.

No acumulado do ano, a receita líquida foi de R$ 4 bilhões, mais 8,5% comparado com os seis primeiros meses de 2005, devido a aumentos de 27% na receita de comunicação de dados; de 36% na local; e 9% nas receitas de outros serviços. Isso compensou a queda de 2% na receita de voz de longa distância.

Anterior BrT pede esclarecimentos à Telecom Italia
Próximos Tráfego LDN da Embratel avança