Dispositivos móveis muito mais leves. Com telas de plástico.


É a promessa da britânica Plastic Logic, que obteve financiamento de US$ 100 milhões para montar uma fábrica de componentes com tecnologia de tela flexível para uso em leitores eletrônicos, entre outros produtos. A planta será construída em Dresden, na Alemanha, e deve começar a funcionar em 2008, produzindo módulos orgânicos de transistores de filme …

É a promessa da britânica Plastic Logic, que obteve financiamento de US$ 100 milhões para montar uma fábrica de componentes com tecnologia de tela flexível para uso em leitores eletrônicos, entre outros produtos. A planta será construída em Dresden, na Alemanha, e deve começar a funcionar em 2008, produzindo módulos orgânicos de transistores de filme fino, que vão conter camadas de polímeros condutores, semicondutores e isolantes.

Como polímeros são materiais flexíveis, podem se destinar à fabricação de levíssimos monitores portáteis. A base da tela é de um substrato de PET ( material usado, por exemplo, nas embalagens de refrigerantes), e uma série de técnicas de impressão (laser é uma delas) modela os polímeros. Segundo a Plastic Logic, há duas aplicações principais para produtos baseados em tecnologias de plásticos flexíveis: etiquetas de identificação por radiofreqüência (RFID, da sigla, em inglês) e telas flexíveis. No caso dessas últimas, serão uma boa alternativa para as telas existentes, grandes consumidoras de energia que reduzem a vida útil das baterias de dispositivos móveis, além de serem feitas de materiais pesados, o que limita a sua portabilidade.

(Da Redação, com noticiário internacional)

Anterior A Cisco começa 2007 comprando empresa de segurança de e-mails
Próximos Telecomunicações: ainda falta muito para universalizar.