Despesas com comunicação recuam em março, diz FGV.


As despesas com comunicação recuaram na quarta semana de março comunicação, de 0,13% para 0,05%, mas isso não evitou a alta do Índice de Preço ao Consumidor Semanal (IPC-S), medido pela Fundação Getúlio Vargas para o mês, que subiu 0,85%, bem acima da variação registrada em fevereiro – 0,66% -, acumulando um aumento de 2,51% desde janeiro. A tarifa de telefone residencial apresentou a maior queda entre os itens de despesas de Comunicações, de -0,31% para -0,48%.

Entre a terceira e a quarta semanas de março, o indicador geral subiu 0,02 pontos porcentuais, de 0,83% para 0,85% entre os dois períodos. Com o resultado de março, o IPC-S acumula alta de 6,09% em 12 meses. O indicador mede, semana a semana, a inflação em sete capitais brasileiras: São Paulo, Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, Salvador e Distrito Federal.

O maior impacto inflacionário partiu dos itens alimentícios que, na média, subiram 1,66% ante 1,58%, na última prévia do mês. O IPC -S teve entre as cinco maiores contribuições, a elevação de preço da passagem aérea, de 2,93% para 13,66%. O grupo de educação, leitura e recreação oscilou de 0,94% ante 0,63%. Além deste grupo, ocorreu avanço, também, em vestuário, de 0,36% para 0,63%.

Nos demais grupos, além das despesas com comunicação, foram registrados decréscimos também em gastos com habitação, de 0,63% para 0,56%; transportes, de 0,78% para 0,69%; despesas diversas, de 0,33% para 0,26%; e saúde e cuidados pessoais, de 0,5% para 0,49%.

Anterior Marco Civil deve influenciar o debate mundial
Próximos Marco Civil da Internet já tem primeiro relator no Senado