Desligamento da TV começa hoje mas só termina dia 17 de novembro em Brasília


O adiamento do desligamento pleno dos sinais de TV no Distrito Federal se deu porque algumas emissoras comerciais não concordaram com os resultados da pesquisa, que no dia 21 não tinham alcançado os 90% de casas aptas a receberem os sinais. Mas a Anatel acredita que esse percentual já foi alcançado. A partir de amanhã devem começar a ser desligadas algumas retransmissoras de TV.

 

TV Interativa ArtigoO desligamento dos sinais de TV analógica no Distrito Federal não será feito mais em um único dia, como havia sido planejado inicialmente. Para não admitir um adiamento no cronograma, porque algumas emissoras comerciais não aceitaram desligar os sinais, entre elas a TV Globo,  já que não se alcançou o percentual de 90% dos lares aptos a receberem o sinais digitais – a última pesquisa, concluída no dia 21 de outubro apurou 88% – o Gired e o Ministério da Ciência Tecnologia e Comunicações decidiram que o desligamento será “escalonado” – começará amanhã por alguma retransmissora e terminará no dia 17 de novembro. Na prática, o desligamento das emissoras comerciais só ocorrerá no último dia do calendário.

A TV Record, que estava trabalhando pela manutenção do cronograma para o dia 26 porque queria que Brasília funcionasse efetivamente como a cidade-piloto, para  apurar a integralidade da experiência do switch off, depois da reunião do Girede decidiu que vai acompanhar as demais emissoras e só vai desligar seus sinais analógicos no último dia do cronograma.

Segundo Rodrigo Zerbone, as emissoras serão livres para decidir – nesse período – quando desligarão seus sinais. A expectativa é que as retransmissores sejam as  primeiras a fazê-lo. Existem em Brasilia 12 retransmissoras e 13 geradoras locais.

O coordenador do Gired informou que ficou decidido que os critérios da pesquisa de opinião foram acatados por todos (eles eram questionados pelos radiodifusores) e serão admitidas todas as casas que têm tela fina como aptas a terem sinal digital, além dos demais critérios já acertados antes. Mas do total dessas casas, vão diminuir 8% do resultado apurado, pois muitos desses aparelhos podem ter sido comprados antes deles serem digitais. Os radiodifusores queriam que o corte fosse de 30%, o que não foi aceito nem pelo governo nem pelos operadores.

O argumento oficial apresentado pelo Gired para o escalonamento foi  a necessidade de melhor distribuir os kits do conversor – antena para a população de baixa renda. Segundo a secretária de radiodifusão, Vanda Bonna, ” o governo quer encontrar aquela população que tem direito e ainda não recebeu o kit”. Os beneficiários sãos as famílias do cadastro único de até três salários-mínimos.

Conforme Zerbone, já foram entregues 75% dos Kits pela EAD (empresa das operadoras de celular que faz a distribuição dos conversores) e ainda restam 90 mil kits a serem distribuídos.

Rio Verde

Na primeira experiência com o desligamento da TV analógica, na cidade goiana de Rio Verde, foi necessário também uma prorrogação do prazo do desligamento dos sinais. Inicialmente marcada para novembro do ano passado, os sinais só foram completamente desligados em fevereiro deste ano.

Anterior Vendas do iPhone caem e Apple termina ano fiscal com lucro menor
Próximos Desligamento em Brasília deixará 400 mil pessoas sem TV, diz Abert