Descontinuada, marca GVT mantém força entre o consumidor de banda larga fixa


consumidor-pessoa-ideia-pensamento-busca-carrinho-de-mercado-codigo-de-barra-cidade-e-commerce-ondas-frete-transmissao-frequencia-dinheiro-valorApesar de descontinuada pela Vivo em abril, a marca GVT ainda é a mais forte do país no segmento da banda larga fixa. A conclusão é de pesquisa da consultoria CVA Solutions que mede a percepção de valor de marcas do mercado brasileiro. NET (Virtua) vem em segundo lugar, seguida por Vivo Fibra, Vivo Telefônica e Live Tim.

Segundo a pesquisa, força de marca equivale ao saldo resultante da comparação entre atração e rejeição de uma marca. Significa que a GVT tem mais respostas positivas, e menos negativas, que concorrentes.

O valor percebido (custo-benefício percebido pelos clientes), no entanto, tem liderança da Live TIM. GVT vem em segundo lugar, seguida por Vivo Fibra, Claro, Sky e Algar. Em telefonia fixa, mantém-se a GVT. Em TV por assinatura, a liderança é da SKY. Confira abaixo os dois rankings.

“A GVT foi comprada pela Vivo (Telefonica), mas a marca GVT é mais forte nestes serviços, com clientes muito satisfeitos. O desafio da Vivo é fazer essa transição, ou seja, transferir a satisfação dos clientes da GVT para a Vivo”, analisa Sandro Cimatti, sócio-diretos da CVA Solutions.

O novo estudo revela que as pequenas operadoras de internet banda larga aumentaram sua representatividade, de 1,4% para 15,3%, nos últimos 12 meses. Foram citadas mais de 18 pequenas operadoras, com destaque para Via Rádio, Cabo Telecom, Conect e várias outras, o que demonstra uma atribuição menor de valor às grandes operadoras. “Os combos com os três produtos caíram de forma significativa devido à recessão, e no caminho inverso, aumentou o número de pessoas que contratam apenas a Internet Banda Larga”, analisa o executivo.

Banda larga fixa
No estudo sobre a Internet Banda Larga Fixa foram ouvidas 5.353 pessoas que citaram Algar, Claro, Embratel, GVT, NET (Virtua), Oi, TIM, Live TIM, Vivo/Telefonica (Speedy e Ajato), Via Radio e outras.

A velocidade média contratada é de 11,4 Mbps, sendo que quase 50% tem velocidade de 5 Mbps a 25 Mbps. A média de gastos mensais vinha se mantendo na casa dos R$ 124, mas agora caiu para R$ 120. A renda média dos entrevistados também caiu – foi de R$4,7 mil  para R$3,9 mil.

O nível de recomendação líquida do setor como um todo melhorou. A Live TIM lidera em recomendação líquida (promotores menos detratores) de 49,2% de seus clientes, seguida por GVT, Sky, e Vivo Fibra. Em uma possível migração, dos 74,5% de consumidores do mercado que dizem que mudariam de marca se fosse fácil e descomplicado, a GVT seria beneficiada com um aumento de 4,8% pontos percentuais em seu market share.

 

RANKING 2016 – INTERNET BANDA LARGA FIXA
Força da Marca (% da Melhor Operadora – % Pior Operadora): Valor Percebido (custo-benefício percebido):
1º – GVT; 1º – Live TIM
2º – NET; 2º – GVT
3º – Vivo Fibra; 3º – Vivo Fibra
4º – Vivo Telefonica; 4º – Claro
5º – Live TIM; 5º – Sky
6º – Algar; 6º – CTBC/Algar
7º – Sky; 7º – TIM
8º – TIM; 8º – NET
9º – Oi; 9º – Telefonica Vivo
10º – Claro. 10º – Oi
Fonte: Pesquisa CVA Solutions 2016
Anterior 74,4% mudariam de operadora se franquia na banda larga fixa fosse implantada
Próximos Nelson Tanure, comprador na bacia das almas, poderá mandar na Oi?