Desbloqueio de pós-pago vai acabar com subsídio do aparelho, diz Cox


Na avaliação de João Cox, presidente da Claro, se a Anatel vier a regular o desbloqueio dos celulares pós-pagos, desvinculando o desbloqueio da obrigatoriedade de pagamento do valor financiado pela operadora, o que vai acontecer é que todas as empresas abandonarão a política de subsídios. “As operadoras vão ganhar, pois deixam de ter uma fonte …

Na avaliação de João Cox, presidente da Claro, se a Anatel vier a regular o desbloqueio dos celulares pós-pagos, desvinculando o desbloqueio da obrigatoriedade de pagamento do valor financiado pela operadora, o que vai acontecer é que todas as empresas abandonarão a política de subsídios. “As operadoras vão ganhar, pois deixam de ter uma fonte de custo, e os usuários vão perder, pois os preços devem subir”, avalia ele. Hoje, praticamente todos os clientes de planos pós-pagos, em maior ou menor medida, têm aparelhos subsidiados. Embora Cox não revele quanto a Claro gasta com subsídios, eles se encontram entre os três maiores custos da operadora, ao lado da operação e custos de interconexão.

O que a Anatel deverá decidir esta semana é se os usuários que têm plano de fidelização (por 12 meses) envolvendo aparelhos subsidiados podem pedir o desbloqueio sem ter de pagar  à operadora a diferença do aparelho, como ocorre hoje. A agência vai se manifestar sobre um pleito da Oi relativo à interpretação do regulamento do SMP.

Anterior Unicel e Telcom ganham, sem licitação, banda de 400 MHz da Anatel.
Próximos Claro lança celular de garrafa Pet