O Departamento de Justiça dos Estados Unidos ainda tenta barrar a fusão entre a operadora AT&T e a produtora e distribuidora de conteúdo Time Warner. O negócio foi aprovado, sem condicionantes, pela Justiça norte-americana em junho. O departamento entrou com pedido de apelação da decisão em corte da capital do país, Washington, no Distrito de Columbia. Em comunicado, a AT&T diz que vai se defender e garantir que o negócio seja levado a cabo.

Detalhes da apelação não foram revelados. Analistas acreditam que o teor é o mesmo do processo que resultou no aval para que as empresas se juntassem. No caso, o Departamento de Justiça previa aumento de preços ao consumidor e redução da competição no segmento de conteúdo para TV por assinatura.

A fusão tem impacto no Brasil, onde a AT&T é dona da Sky, e a Turner é uma das maiores programadoras da TV por assinatura local,com canais presentes praticamente todos os pacotes oferecidos pelas operadoras. A Anatel ainda vai se pronunciar sobre a fusão e dizer se autoriza, ou não, a manutenção das operações de Sky ou Turner sem alterações estruturais. Isso porque a Lei do SeAC, que regula da TV por assinatura, impede a união entre operadoras e programadoras no país.