NET: demora para obter SeAC impacta resultado em 2012


Por conta das dificuldades de expansão de sua área de atuação por conta da necessidade de atualização das licenças para operação no mercado de TV paga para o Serviço de Acesso Condicionado (SeAC) em 2012, a NET elevou em 13,8% seu número de clientes de TV paga em 2012 (totalizando 5,38 milhões), valor bem abaixo da expansão de 27% registrado pelo mercado brasileiro como um todo, na comparação com o ano anterior.

O impacto do impedimento à expansão da oferta de TV paga da NET fica claro quando comparado o avanço neste segmetno com os demais ramos de atuação da NET e com o avanço em termos de receita versus avanço no lucro líquido.

A empresa do grupo América Móvil elevou em 28,9% o número de clientes de banda larga fixa em relação a 2011, com 5,49 milhões de clientes e fechou o ano liderando o segmento residencial. No ano, o número de linhas fixas em serviço aumentou 29,5%, somando 4,97 milhões.

A receita líquida da NET cresceu 19,9%, passando de R$ 1,78 bilhão no 4T11 para R$ 2,14 bilhão no 4T12. Nos últimos 12 meses, o aumento foi de 18,6%, totalizando R$ 7,93 bilhões em 2012 contra R$ 6,69 bilhões em 2011. Segundo a companhia, a expansão se deu principalmente pela ampliação da base de assinantes. Mas a companhia encerrou o 4T12 com Lucro Líquido de R$ 141,5 milhões, contra R$ 118,2 milhões no mesmo período de 2011. Em 2012, o lucro líquido foi de R$ 393,7 milhões, em comparação com R$ 373,2 milhões em 2011, um aumento de 5,5%.

Ocorre que a empresa aproveitou o ano para instalar infraestrutura e se preparar para ampliação geograficamente da oferta dos serviços quando da obtenção da licença do SeAC, o que gerou alta no valor do Capex, sem que o retorno em termos de clientes de TV acompanhasse. O investimento total da empresa em 2012 ficou em R$ 2,593 bilhões, um aumento de 56,2% em relação a 2011, alocados principalmente na instalações de infraestrutura em residências, qualidade dos serviços prestados, expansão da capacidade da rede e melhorias tecnológicas.

O lucro também foi negativamente impactado por uma alta nos custos operacionais, que totalizaram R$ 1,023 bilhão no 4T12, um aumento de 22,8% em relação ao 4T11, e R$ 3,879 bilhões em todo o ano, 20,4% a mais que os R$ 3,223 bilhões registrados em 2011. Segundo a empresa, a elevação do custo se deve, principalmente, ao crescimento do negócio. As despesas com vendas, gerais e administrativas ficaram em R$ 477,6 milhões no 4T12, 14,9% acima dos R$ 415,8 milhões registrados no 4T11. Considerando todo o ano de 2012, as despesas ficaram em R$ 1,828 bilhão, 19,4% maior do que o registrado no ano anterior, também impulsionado pelo crescimento do negócio.

Em novembro, a companhia obteve a licença para o SeAC, quando passou a ofertar TV paga em 44 novas cidades distribuídas nos estados de São Paulo, Rio de Janeiro e outras capitais e regiões metropolitanas do norte e nordeste do país como Recife, Salvador, São Luis e Belem. Até o final de 2013, a companhia pretende dobrar o atual número de cidades com oferta completa dos serviços, o que pode alterar a configuração do balança anual da companhia da América Móvel, a depender da concorrência com Telefônica, Oi, GVT, Sky, entre outras.

Ebitda da NET
O Ebitda (lucro antes de impostos, juros, incluindo a contribuição social sobre o lucro, depreciação e amortização) foi de R$ 643,2 milhões no 4T12, com Margem Ebitda de 30,0%, 19,4% melhor face ao valor de R$ 538,6 milhões registrado no mesmo período de 2011. Em termos anuais, o Ebitda subiu 14,9% de R$ 1,941 bilhão para R$ 2,231 bilhões em 2012, com margem Ebitda de 28,1% contra 29,0% em 2011.
 (Da redação)

Anterior Consulta à norma sobre estímulo ao investimento em P,D&I já está aberta
Próximos Países da América Latina e Europa aceitam proposta do Brasil de cabo submarino